Após fuga, fundação quer cortar árvores

A Fundação Casa de Itaquera, na zona leste de São Paulo, pretende cortar as árvores que facilitaram a fuga dos internos no motim de anteontem, no qual escaparam 54 adolescentes. Os jovens usaram a planta para descer o muro até o lado de fora. Os adolescentes saíram pela lateral enquanto viaturas da PM esperavam no portão dianteiro.

Victor Vieira, O Estado de S.Paulo

14 de agosto de 2013 | 02h11

Segundo a assessoria de imprensa da fundação, a equipe avalia se é necessária autorização ambiental para a poda. Até ontem, a PM havia conseguido recapturar 22 dos 54 fugitivos e seguia com as buscas na região.

A sindicância instaurada pela Corregedoria-Geral da Fundação Casa tem 90 dias para investigar as causas das rebeliões nas unidades de Itaquera e da Vila Leopoldina, na zona oeste, onde também houve motim anteontem. Será investigado se há ligação entre os dois casos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.