Após explosão, TJ pede escolta para juíza

A presidência do Tribunal de Justiça de São Paulo requisitou escolta policial para a juíza Cynthia Andraus Carreta, a quem estava endereçado o embrulho com a bomba caseira que explodiu anteontem no Fórum de Rio Claro, no interior. A juíza da 3.ª Vara Cível não estava no local na hora da explosão. Dois funcionários ficaram feridos - um deles já foi liberado. A pedido da família, o hospital não divulgou informações sobre o funcionário que passou por cirurgia após ter mãos, tórax e rosto atingidos por estilhaços. O artefato estava dentro de um boneco de Papai Noel.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.