Após escavar Linha 4, tatuzão começa a ser desmontado

Máquina deverá ser revendida à empresa fabricante como parte do pagamento de um novo equipamento

estadao.com.br,

13 de outubro de 2009 | 16h04

  Operários observam a chegada do tatuzão ao poço na Luz, região central de São Paulo

 

SÃO PAULO - A máquina responsável pela escavação do túnel da Linha 4-Amarela do Metrô de São Paulo começou a ser desmontada nesta terça-feira, 13. O tatuzão, como é conhecido, chegou nesta manhã ao poço da Rua João Teodoro, na Luz. A estimativa é que o processo de desmontagem do equipamento demore cerca de dois meses.

 

Por causa do desgaste, o tatuzão deverá ser revendido à fábrica apenas por uma pequena parte do valor de uma nova. Adquirida em 2006, a máquina custou US$ 30 milhões (cerca de R$ 79 milhões), segundo engenheiros do Via Amarela - consórcio responsável pela obra. Serão necessárias 24 carretas para levar os componentes maiores, e 82 contêineres.

 

 

As escavações do túnel da linha que ligará a Vila Sônia (zona oeste) ao centro da capital paulista foram finalizadas no dia 14 de agosto, quando o tatuzão chegou à futura estação Luz. Depois, ele ficou parado no local, em manutenção, por cerca de um mês e, em seguida, percorreu os últimos 470 metros até o poço João Teodoro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.