Após eleição, Casa aprova orçamento de R$ 35,6 bi

Na provável disputa para fazer seu sucessor em 2012 contra adversários do PT e do PSDB, o prefeito Gilberto Kassab (DEM) saiu na frente. A vitória na eleição para a presidência do Legislativo municipal mais caro e influente do País colocou oito partidos sob a órbita de seu projeto político. Ontem, ainda conseguiu aprovar na Casa o orçamento de R$ 35,6 bilhões para 2011. Ao lado do prefeito agora estão PPS, PC do B, PDT, PRB, PSB, PV, parte do DEM e principalmente o PMDB - Kassab construiu nos últimos dois meses trânsito nas alas federal e estadual da legenda e deve integrar os quadros do partido a partir de fevereiro.

Bruno Tavares e Diego Zanchetta, O Estado de S.Paulo

16 Dezembro 2010 | 00h00

A conquista da Mesa Diretora da Câmara era o teste de fogo para Kassab se fortalecer como liderança no cenário nacional. Também foi a manifestação de prestígio político que ele precisava para se cacifar tanto dentro do seu partido, o DEM, comandado pela ala carioca da sigla, quanto no PMDB, que estuda ceder o espólio quercista para o prefeito. Kassab agora pode encurralar os Democratas: ou vira o "dono" do partido ou vai para o PMDB.

Enquanto Kassab manobrou com lideranças nacionais em viagens a Brasília nos últimos 40 dias, os vereadores do PT não conseguiram mobilizar os caciques nacionais do partido no pleito municipal, maior parte envolvida com a transição do governo Lula. A estratégia da oposição é aproveitar os ressentimentos dos vereadores do "centrão" num bloco mais coeso, com cerca de 20 vereadores. E estabelecer uma divisão de tarefas, criando dificuldades dentro da Casa para aprovar as propostas de Kassab.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.