Após 10 dias, buscas por menina desaparecida continuam em Tietê

Criança, de 9 anos, saiu de casa para deixar irmãos em uma creche; testemunhas dizem que a viram conversando com um motorista

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

08 Junho 2015 | 17h07

SOROCABA - Dez dias após seu desaparecimento, no dia 28 de maio, as buscas pela menina Gabriela Aparecida Alves, de 9 anos, foram retomadas nesta segunda-feira, 8, em Tietê, no interior de São Paulo. O Corpo de Bombeiros estendeu a área de buscas às margens do Rio Tietê, que corta a cidade. 

A garotinha saiu de casa para deixar dois irmãos menores em uma creche e não voltou mais. Testemunhas dizem ter visto a menina conversando com o condutor de um veículo vermelho. Convidada pelo estranho, ela teria subido no carro. A suspeita é de crime sexual.

Um suspeito, C.S., de 36 anos, está preso, após sua prisão temporária ter sido decretada pela Justiça. Ele foi reconhecido como o dono do carro que teria levado a menina. O delegado da Polícia Civil Fernando César Reis disse que o homem nega o crime, mas, ao ser ouvido informalmente, entrou em contradição. 

De acordo com o delegado, outras duas jovens foram abordadas no mesmo dia pelo suspeito. Ele será interrogado esta semana no inquérito que apura o desaparecimento da criança. Seu carro foi apreendido e encaminhado para perícia, mas o resultado ainda não ficou pronto. 

A Polícia Militar usou cães farejadores em buscas realizadas no sítio do suspeito, mas nada foi encontrado. A mãe da menina, Lucinéia Cristina da Silva, disse ter esperança de que a filha seja encontrada com vida. Durante o final de semana, familiares e amigos da família de Gabriela também realizaram buscas em canaviais e matas da região. Cartazes com foto da criança foram espalhados pelo bairro.

Mais conteúdo sobre:
Tietê São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.