PAULA FELIX/ESTADÃO
PAULA FELIX/ESTADÃO

Após desgaste com Doria, PM de SP tem novo comandante-geral

Coronel Fernando Alencar Medeiros assume posto do coronel Marcelo Vieira Salles, que deixou o cargo na semana passada depois de desentendimento em relação à ação em Paraisópolis

Paula Felix, O Estado de S.Paulo

09 de março de 2020 | 13h29
Atualizado 09 de março de 2020 | 20h46

SÃO PAULO - O novo comandante-geral da Polícia Militar será o coronel Fernando Alencar Medeiros, que atuava como subcomandante-geral da corporação. O anúncio foi feito no início da tarde desta segunda-feira, 9, pelo ex-comandante-geral da Polícia Militar, o coronel Marcelo Vieira Salles, que deixou o cargo no final da semana passada

Muito emocionado, o coronel Salles agradeceu pelos 36 anos que serviu à corporação e disse que a transição será um processo tranquilo, tendo em vista o cargo que Medeiros, que já foi comandante da Rota, ocupava na corporação.

Salles afirmou que deixa a PM sem mágoas. "Normalmente, com 30 anos, a gente vai para a reserva. Fiquei esses seis anos a mais por gratidão ao Estado de São Paulo. Não há mágoa alguma. Nós, servidores públicos, não temos direito de ter esse tipo de coisa."

Na última sexta-feira, 6, o ex-comandante-geral da Polícia Militar de São Paulo, colocou o cargo à disposição e deixou o posto que ocupava desde 2018. A relação do oficial com o governador do Estado, João Doria (PSDB), vinha se desgastando desde o ano passado e por questões relacionadas ao caso Paraisópolis, onde após uma ação da PM nove jovens morreram pisoteados

Na semana passada, veio a público a conclusão da Corregedoria de que a ação dos policiais causou as mortes, mas o inquérito pede que eles não sejam punidos porque teriam agido em legítima defesa. Outra investigação, essa da Polícia Civil, continua em andamento. 

Após o anúncio, o governador João Doria (PSDB) negou a existência de desavenças. "Nunca houve problemas. Sempre tivemos uma relação muito respeitosa. Ele vai para a reserva, tem um futuro brilhante pela frente e terá sempre o nosso apoio."

Orientação para a tropa é 'serenidade e tranquilidade', diz novo comandante

Novo comandante-geral da PM, o coronel Fernando Alencar Medeiros, de 50 anos, afirmou que a corporação segue protocolos para as diferentes situações com as quais lida e que a recomendação para a tropa é agir com equilíbrio. "A maior orientação é serenidade e tranquilidade, cuidamos de pessoas e isso é muito complexo. Independentente de qualquer ação, temos protocolo. Para pancadão, patrulhamento de rua, reintegração de posse."

Ao se apresentar, foi sucinto e discreto. "O coronel Alencar é um policial militar, filho de policial militar e que tem por objetivo cuidar da Polícia Militar."

O secretário de Estado da Segurança Pública, general João Camilo Pires de Campos destacou a experiência do coronel na área de Direitos Humanos - ele foi instrutor de Direitos Humanos para Forças de Segurança na América Latina pelo Comitê internacional da Cruz Vermelha - e disse que uma de suas características era a modéstia.

Além de comandante da Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota), ele também já comandou o 16° Batalhão de Polícia Militar (BPM), que cobre a área de Paraisópolis, e foi instrutor do Barro Branco e da Escola Superior de Soldados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.