Após desabamento em igreja, Kassab quer secretaria especial

Buscas foram suspensas no local do acidente após suposto desaparecido ser encontrado na casa da família

Da Redação,

19 Janeiro 2009 | 13h33

Depois do desabamento do teto da Igreja Renascer, no Cambuci, o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, afirmou que pretende criar uma secretaria especial para vistoria e fiscalização de obras e reformas de prédios. O desabamento aconteceu às 18h50 do domingo, 18, e nove pessoas morreram. Pelo menos 113 pessoas ficaram feridas e 45 continuam internados - sendo seis em estado grave. As buscas nos escombros do acidente foram suspensas no começo da tarde desta segunda-feira, 19, já que uma pessoa que era considerada desaparecida foi encontrada por familiares.   Veja também: Liberado trânsito na Rua Lins de Vasconcelos Casal Hernandes divulga nota sobre desabamento Igreja Renascer divulga lista das vítimas do desabamento  Galeria de fotos: imagens do local e do resgate às vítimas       Kassab visitou o local do desabamento ao lado do secretário da Segurança Pública de São Paulo Ronaldo Marzagão. O prefeito estava acompanhado de membros do Corpo de Bombeiros e da polícia técnica, que faz trabalhos de perícia no local. A Secretaria de Habitação é responsável pela fiscalização de obras e reformas em prédios. Durante a coletiva, Kassab afirmou que uma vistoria foi feita em julho de 2008 e apontava que a obra estava legal, segundo o alvará da igreja.   Buscas   As buscas na sede mundial de Igreja Renascer foram suspensas no começo da tarde desta segunda. Lázaro Luís, de 47 anos, que era considerado desaparecido desde o acidente, foi encontrado por familiares. Um irmão de Lázaro ligou para os Bombeiros para avisar que ele foi encontrado em casa. Lázaro não teria ido ao culto na noite do domingo.   A assessoria de imprensa da Igreja Renascer em Cristo divulgou, na madrugada desta segunda-feira, uma lista dos feridos no desabamento. A lista divulgada tem 120 nomes, enquanto os bombeiros até agora confirmam a existência de 96 feridos.   Desabamento   O teto igreja desabou completamente às 18h50 de domingo, no momento em que fiéis do culto das 17 horas saíam e outros chegavam para a celebração seguinte. Cerca de 400 pessoas estavam no local, que tem capacidade para 1.800 pessoas.   Quarenta viaturas do Samu e do Corpo de Bombeiros faziam o resgate dos feridos, que eram levados de ambulância - algumas vindas de outras cidades - para diversos hospitais da região. Uma pista improvisada para pouso de helicópteros também foi montada no local.   Oito imóveis nas imediações do templo foram evacuados e interditados pela Defesa Civil. Somente nesta segunda-feira serão inspecionados para saber se sofreram danos estruturais ou se poderão voltar a ser habitados.

Mais conteúdo sobre:
Igreja Renascer tragédia na Renascer

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.