Após desabamento em igreja, Kassab quer secretaria especial

Buscas foram suspensas no local do acidente após suposto desaparecido ser encontrado na casa da família

Da Redação,

19 de janeiro de 2009 | 13h33

Depois do desabamento do teto da Igreja Renascer, no Cambuci, o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, afirmou que pretende criar uma secretaria especial para vistoria e fiscalização de obras e reformas de prédios. O desabamento aconteceu às 18h50 do domingo, 18, e nove pessoas morreram. Pelo menos 113 pessoas ficaram feridas e 45 continuam internados - sendo seis em estado grave. As buscas nos escombros do acidente foram suspensas no começo da tarde desta segunda-feira, 19, já que uma pessoa que era considerada desaparecida foi encontrada por familiares.   Veja também: Liberado trânsito na Rua Lins de Vasconcelos Casal Hernandes divulga nota sobre desabamento Igreja Renascer divulga lista das vítimas do desabamento  Galeria de fotos: imagens do local e do resgate às vítimas       Kassab visitou o local do desabamento ao lado do secretário da Segurança Pública de São Paulo Ronaldo Marzagão. O prefeito estava acompanhado de membros do Corpo de Bombeiros e da polícia técnica, que faz trabalhos de perícia no local. A Secretaria de Habitação é responsável pela fiscalização de obras e reformas em prédios. Durante a coletiva, Kassab afirmou que uma vistoria foi feita em julho de 2008 e apontava que a obra estava legal, segundo o alvará da igreja.   Buscas   As buscas na sede mundial de Igreja Renascer foram suspensas no começo da tarde desta segunda. Lázaro Luís, de 47 anos, que era considerado desaparecido desde o acidente, foi encontrado por familiares. Um irmão de Lázaro ligou para os Bombeiros para avisar que ele foi encontrado em casa. Lázaro não teria ido ao culto na noite do domingo.   A assessoria de imprensa da Igreja Renascer em Cristo divulgou, na madrugada desta segunda-feira, uma lista dos feridos no desabamento. A lista divulgada tem 120 nomes, enquanto os bombeiros até agora confirmam a existência de 96 feridos.   Desabamento   O teto igreja desabou completamente às 18h50 de domingo, no momento em que fiéis do culto das 17 horas saíam e outros chegavam para a celebração seguinte. Cerca de 400 pessoas estavam no local, que tem capacidade para 1.800 pessoas.   Quarenta viaturas do Samu e do Corpo de Bombeiros faziam o resgate dos feridos, que eram levados de ambulância - algumas vindas de outras cidades - para diversos hospitais da região. Uma pista improvisada para pouso de helicópteros também foi montada no local.   Oito imóveis nas imediações do templo foram evacuados e interditados pela Defesa Civil. Somente nesta segunda-feira serão inspecionados para saber se sofreram danos estruturais ou se poderão voltar a ser habitados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.