Divulgação
Divulgação

Após decisão judicial, Doria volta a defender harmonia entre Uber e táxis

Prefeito eleito não manifestou sua posição sobre a sobretaxa criada pela gestão Haddad para combater o monopólio do aplicativo

Daniel Weterman e Juliana Diógenes, O Estado de S.Paulo

20 de outubro de 2016 | 12h14

SÃO PAULO - Após a decisão judicial que suspendeu a sobretaxa da Prefeitura contra o monopólio da empresa Uber, que havia sido determinada por Fernando Haddad (PT) na semana passada, o prefeito eleito, João Doria (PSDB), voltou a defender harmonia entre os serviços de transporte e a liberdade de escolha da população. O tucano não quis se manifestar se é favor da mudança ou contra na cobrança das taxas para aplicativos.

Ao ser perguntado sobre a decisão da Justiça, Doria afirmou que a equipe de transportes da transição está analisando o tema da sobretaxa.

"Nós temos que ter convivência pacífica entre serviços de Uber, outros serviços e taxistas", disse. Assim como defendeu na campanha, Doria ressaltou que é justo que a população tenha opção de escolher a melhor ferramenta. "Estamos sempre abertos ao diálogo e vamos olhar as regulamentações."

Doria esteve na manhã desta quinta-feira, 20, no Mercado Municipal do Ipiranga, na zona sul da capital paulista, no terceiro dia consecutivo de caminhada por bairros para cumprimentar eleitores.

Secretariado. Doria confirmou que vai começar a anunciar o secretariado na próxima quinta-feira, 27, pela manhã. "Toda quinta, durante quatro semanas, vamos anunciar secretários e secretárias", disse.

Questionado sobre quais serão as primeiras secretarias anunciadas, Doria brincou. "Pergunta lá no posto Ipiranga."

A ideia do tucano é ter, no fim de novembro, todos os nomes para articular a transição setorial durante 30 dias. Até lá, a equipe de Doria, coordenada pelo ex-deputado federal Júlio Semeghini, está conversando com as principais secretarias de Haddad para as informações mais abrangentes do governo, como orçamento, e medidas emergenciais, por exemplo, de combate às enchentes de verão. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.