Após críticas por apagões, Eletropaulo anuncia investimentos de R$ 120 mi

Empresa diz que vai contratar novos eletricistas e ampliar equipe de atendimento

estadão.com.br,

05 Julho 2011 | 16h36

SÃO PAULO - Após receber críticas até do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), a AES Eletropaulo anunciou na tarde desta terça-feira, 5, investimentos de R$ 120 milhões na ampliação do atendimento ao cliente. Entre as medidas para melhorar o serviço está a contratação de 580 novos eletricistas e 150 atendentes.

 

No dia 7 de junho, um ciclone extratropical atingiu a Grande São Paulo. Ventos de até 81 km/h causaram uma morte e vários transtornos, incluindo apagões em semáforos e no fornecimento de energia elétrica, telefonia e internet. Diversos bairros da capital ficaram até 48h sem energia elétrica. Em Embu das Artes e Paranapiacaba, em Santo André, a luz só voltou depois de quatro dias.

 

Segundo a Eletropaulo, o principal objetivo dos investimentos é melhorar o relacionamento com o cliente e evitar situações como a ocorrida no dia 7, quando 600 mil unidades da Região Metropolitana ficaram sem energia e muitas delas não conseguiram se comunicar com a empresa. À época, a companhia classificou o episódio como um "evento atípico". Alckmin criticou publicamente a empresa, afirmando que "a concessionária não tem condições mínimas de atendimento rápido ao usuário."

 

Além das novas equipes de eletricistas e atendentes, o atendimento eletrônico será ampliado de 2 mil para 54 mil chamadas por hora, além de maior espaço para recebimento de chamados via SMS. A intenção, de acordo com a concessionária, é aumentar em 50% a capacidade, possibilitando receber até 100 mil torpedos por dia. / COM MÁRCIO PINHO, DE O ESTADO DE S. PAULO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.