Após corte, SP promete 'reorganizar' serviços de limpeza

Secretaria de Serviços afirma que corte acontece na maioria das secretarias da Prefeitura em virtude da crise

Priscila Trindade, da Central de Notícias,

13 de agosto de 2009 | 20h18

A Prefeitura de São Paulo confirmou nesta quinta-feira, 13, que houve uma redução de 20% no orçamento destinado aos serviços de varrição das ruas da cidade durante a gestão de Gilberto Kassab (DEM). Apesar das reclamações de cidadãos que se sentiram lesados com a lei antifumo, que aumentou o número de bitucas de cigarro nas calçadas e ruas, e às vésperas da temporada de chuva, a Secretaria de Serviços (SES) afirma que o corte é legal e acontece na maioria das secretarias da Prefeitura em virtude da crise financeira mundial. Apenas Saúde e Educação não sofrerão reduções.  

 

Veja também:

 

Na nota divulgada à imprensa, a Prefeitura informou que os representantes das secretarias de Serviços e Coordenação de Subprefeituras estão se reunindo com 31 subprefeitos para reorganizar e elaborar novos planos de serviço. De acordo com o texto, "será feito um trabalho de otimização e maior fiscalização para garantir a limpeza da cidade". Ao invés de cortar o número de funcionários, haverá diminuição na jornada de trabalho das equipes de limpeza.

Tudo o que sabemos sobre:
limpeza urbanaSPcorte

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.