Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Após chuvas, rios dos reservatórios do PCJ saem do alerta

O volume das bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí, no interior de São Paulo, foram abastecidos no final de semana 

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

26 Janeiro 2015 | 13h59

SOROCABA - As chuvas que caíram no final de semana na região das bacias do Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ), interior de São Paulo, elevaram o nível dos rios e tiraram do estado de alerta, nesta segunda-feira, 26, os serviços de água de 38 municípios da região. De acordo com o boletim sobre o estado das vazões da Sala de Situação do Consórcio PCJ, a medição realizada às 9h40 mostrou que os rios Atibaia, Camanducaia e Jaguari tiveram ganhos expressivos no volume de água. Até a manhã de domingo (25), quatro das cinco das bacias estavam em estado de alerta.

Quando as vazões passam do alerta para o estado de restrição, os municípios são obrigados a reduzir em 20% as captações para abastecimento público, conforme resolução conjunta da Agência Nacional de Águas (ANA) e do Departamento de Água e Energia Elétrica (DAEE) de São Paulo, em vigor desde sexta-feira. A medida obrigaria pelo menos duas dezenas de municípios a adotarem o racionamento, entre eles Campinas. Com as chuvas, o Rio Atibaia, que abastece a cidade e estava à beira do nível de restrição, com vazão de 4,07 m3/s, passou para uma vazão de 7,67 m3/s.

A trégua dada pelas chuvas pode se estender ao longo da semana, já que de manhã voltou a chover em municípios da região. Em Jundiaí, Jarinu e Várzea Paulista, a chuva chegou a causar alagamentos. Em alguns pontos, o índice acumulado de chuvas entre sábado e a manhã desta segunda-feira chegou a 59 milímetros. Choveu também na região de Piracicaba, elevando para 69,29 m3/s a vazão do Rio Piracicaba que, no sábado, estava com 37,6 m3/s.

Mais conteúdo sobre:
Crise da água São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.