CHICO SIQUEIRA/ESTADAO
CHICO SIQUEIRA/ESTADAO

Após chuvas, navegação no Rio Tietê será retomada

Restabelecimento vai garantir o trânsito de comboios de barcaças entre os Estados de SP, MT, MS, MG e PR

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

22 Janeiro 2016 | 18h34

SOROCABA - As chuvas das últimas semanas recuperaram o nível de reservatórios e a navegação pela hidrovia Tietê-Paraná, suspensa desde maio de 2014, será retomada em fevereiro. A cota no reservatório da usina de Três Irmãos, no Rio Tietê, o mais afetado, estava em 326,4 metros nesta sexta-feira, 22, um metro acima do nível necessário para a navegabilidade. No período mais crítico da estiagem, há um ano, a cota chegou a 321,6 no trecho entre o km 99,5 do reservatório e a eclusa de Nova Avanhandava.

De acordo com o Departamento Hidroviário (DH), da Secretaria de Logística e Transportes do Estado, o Operador Nacional do Sistema (ONS), que gerencia o nível de armazenamento dos reservatórios, iniciou em agosto do ano passado a transferência de água dos lagos situados acima das barragens de Três Irmãos e Ilha Solteira. O restabelecimento da quota vai garantir o trânsito de comboios de barcaças entre os Estados de São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Paraná, interligados à hidrovia.

Segundo o órgão, além das chuvas, é preciso que a transposição natural de água entre os reservatórios de Três Irmãos e Ilha Solteira, pelo canal de Pereira Barreto, seja mantido para estabilizar a cota de navegação. 

Em 2014, segundo o DH, o uso prioritário da água para geração de energia, pelo governo federal, agravou as restrições à navegação causadas pela estiagem no Sudeste. Foram prejudicadas principalmente as cargas de longo percurso, como soja e milho, que vêm de São Simão (GO) e de celulose e madeira, embarcados em Três Lagoas (MS).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.