Roberto Costa / Estadão
Roberto Costa / Estadão

Após chuva, situação começa a se normalizar na Grande São Paulo

Novas áreas de instabilidade podem causar fortes pancadas de chuva no fim da tarde e início da noite, prevê Centro de Gerenciamento de Emergências

Paulo Roberto Netto, O Estado de S.Paulo

01 Dezembro 2018 | 13h43

SÃO PAULO - Após a chuva torrencial que provocou quedas de árvores e alagamentos em São Paulo e região metropolitana, a situação da capital paulista segue normalizada no início da tarde deste sábado, 1º. Mas novas tempestades estão previstas para o fim do dia.

De acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), o sol deve aparecer nas próximas horas e as temperaturas subirão, mas novas áreas de instabilidade poderão causar fortes pancadas de chuva no fim da tarde e início da noite. Há potencial para formação de alagamentos.

Desde a madrugada, o Corpo de Bombeiros recebeu 22 chamados de queda de árvore, 15 de desmoronamentos e 51 de enchentes, sendo oito na Marginal Tietê

A via foi bloqueada em alguns pontos devido ao acúmulo de água nas faixas, e foram liberadas no fim da manhã. No entanto, motoristas ainda enfrentam lentidão nas proximidades da Ponte das Bandeiras, onde motoristas ficaram ilhados durante a manhã, e na Ponte Aricanduva, cujas faixas expressas ficaram parcialmente alagadas.

Houve bloqueios também na altura da Ponte Atílio Fontana,  Ponte do Tatuapé, Ponte das Bandeiras, Ponte da Casa Verde, Ponte Presidente Dutra, Ponte Jornalista Walter Abrahão e próximo da saída para a Rodovia Castello Branco. As vias se encontram liberadas e o trânsito flui normalmente, segundo a CET.

O Aeroporto de Congonhas registra 129 voos atrasados, 46 deles na última hora. Outros 46 voos foram cancelados. Em Guarulhos, o terminal internacional da capital registra 145 voos atrasados e 21 cancelados desde a meia-noite.

Região Metropolitana

A situação em Franco da Rocha segue em vias de normalização, informa a Prefeitura. Durante a noite, o município registrou 110 mililitros em seis horas - o suficiente para alagar a região central da cidade. 

No início da tarde, cerca de 10 caminhões pipas e mais de 100 agentes municipais trabalhavam para desobstruir e limpar as principais vias da cidade. A Defesa Civil Municipal atua no monitoramento das áreas de risco e recomenda às famílias a deixarem suas residências ao sinal de movimentação estranha. A Represa Paiva Castro opera normalmente com 55% da capacidade e não apresenta risco iminente. 

Segundo a Prefeitura, os trabalhos estão previstos para serem concluídos por volta das 17h. Ninguém se feriu durante os alagamentos.

Em Caieiras, o Corpo de Bombeiros registrou chamada de quatro pessoas presas em uma enchente na cidade. O grupo foi resgatado e não há informações de feridos.

Estradas

Fernão Dias: Pontos de retenção no sentido Belo Horizonte em Mairiporã (km 60 ao km 56) e em Atibaia (km 41 ao km 36).

Régis Bittencourt: Trânsito flui normalmente.

Presidente Dutra: Trânsito lento no sentido São Paulo em Guarulhos (km 223 a km 224) e em São Paulo (km 229 a km 231).

Anchieta / Imigrantes: Trânsito flui normalmente.

Castello Branco / Raposo Tavares: Trânsito flui normalmente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.