Após caso Tayná, Paraná muda polícia

O efeito do caso Tayná pode ter produzido mais um afastamento da cúpula policial do Paraná. A Secretaria de Segurança Pública (Sesp) confirmou a substituição do delegado-geral da Polícia Civil, Marcus Vinícius Michelotto, pelo delegado da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc), Riad Braga Farhat, que coordenava o Grupo Tigre, da elite da polícia e especializado em situações de sequestro.

Julio Cesar Lima, especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

24 de julho de 2013 | 02h11

A Sesp não informou o motivo da transferência de Michelotto, que estava à frente da Delegacia Geral desde 2011, mas pode ser, segundo fontes ligada à polícia, um desdobramento do caso ainda não resolvido do assassinato e estupro de Tayná Adriane da Silva, 14 anos, no dia 28 de junho, em Colombo (PR), Região Metropolitana de Curitiba. A reviravolta no caso já provocou a prisão de dez policiais, incluindo o delegado de Alto Maracanã, Silvan Pereira, e o afastamento de outras seis pessoas ligadas à segurança. Michelotto não comentou sua substituição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.