Laura Maia/Estadão
Laura Maia/Estadão

Após carreata, manifestação de policiais militares chega à Assembleia de SP

Cerca de 1 mil cabos e soldados participam de ato por maior reajuste salarial e plano de carreira

Laura Maia, O Estado de S. Paulo

22 de outubro de 2013 | 14h48

Atualizado às 21h30

SÃO PAULO - Cerca de mil cabos e soldados aposentados do Estado de São Paulo, além de seus familiares, acompanham a sessão na Assembleia Legislativa na qual deve ser votado o reajuste de salário da categoria, nesta terça-feira, 22.  A sessão extraordinária começou às 19h15.

Em campanha por um aumento maior que o proposto pelo governo, eles partiram por volta das 14h da sede da Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar do Estado de São Paulo, na Avenida Marquês de São Vicente, na zona norte. Mais de 20 ônibus e vans estavam no comboio.

O Projeto de Lei 33 prevê o aumento salarial de 7% para a categoria, menor que o pedido pelos policiais. Segundo a associação, a proposta encaminhada ao governo era de 15% de aumento para este ano, retroativo a 1º de março, e de 11% para 2014.

O plenário JK da Assembleia Legislativa está lotado  e a sessão foi suspensa até as 17h. Além do plenário onde acontece a votação, outros três plenários estão ocupados para que os manifestantes acompanhem sessão pelo telão. "Somos completamente contra o aumento de 7%", afirmou o presidente da associação. Wilson Moraes.

"Esse aumento proposto é um desrespeito com a família policial. Esses 7% depois dos descontos se tornam 1,34%. Nossa intenção é obstruir a votação", disse Adriana Borgo, presidente da Associação de Familiares e Amigos de Policiais do Estado de São Paulo (Afapesp) e da Comissão dos direitos Humanos dos policiais de São Paulo.

"Vim aqui hoje para reivindicar meus direitos. Nosso salário está defasado e não supre as necessidades das nossas famílias", afirmou o sargento Jonas Vieira, de Bauru, interior do Estado.

Estão presentes policiais de Araçatuba, São José do Rio preto, Araraquara, Presidente prudente, Ribeirão Preto, Marília, Osasco entre outros municípios. Eles estão uniformizados com uma camisa azul escura com seguinte frase: "Reajam!!!policiais militares".

Mais conteúdo sobre:
polícia militarpmpasseata

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.