Após bloquear Castelo Branco, sem-terra se alojam na USP

Aproximadamente 300 ativistas chegaram ao câmpus Butantã, na zona oeste, por volta das 9h. Grupo deve se reunir com sem-teto

Felipe Neves, Especial para o Estado

02 Julho 2014 | 13h44

SÃO PAULO - Um grupo formado por cerca de 300 manifestantes sem-terra da Frente Nacional de Lutas (FNL) que marchou do interior de São Paulo até a capital entrou na manhã desta quarta-feira no câmpus Butantã da Universidade de São Paulo (USP), por volta das 9h. Antes, os ativistas bloquearam a Rodovia Castelo Branco e a Marginal do Pinheiros.

Segundo a Polícia Militar, a intenção do grupo, que saiu da cidade de Assis, é se alojar por um dia no local e, em seguida, se encontrar com integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) para realizar um protesto por moradia na Avenida Paulista.

Até as 13h desta quarta-feira, a USP não tinha informações sobre a entrada dos manifestantes da FNL no câmpus Butantã. De acordo com a PM, o ato é pacífico.

Mais conteúdo sobre:
São Paulo Sem terra FNL USP

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.