Rafael Arbex / ESTADAO
Rafael Arbex / ESTADAO

Após bikes, mania agora é alugar skate

Equipamentos podem ser retirados em pontos de ônibus; patins e patinetes ganham espaço depois da inauguração de ciclovias

Mônica Reolom, O Estado de S. Paulo

13 de agosto de 2015 | 03h00

O aluguel de bicicletas já é disseminado na cidade de São Paulo e ganhou ainda mais força com a instalação de 351 quilômetros de ciclovias pela capital. Outros equipamentos de lazer - como skate, patins e patinetes -, no entanto, têm ganho espaço e podem ser locados em locais inusitados, como os pontos de ônibus paulistanos.

Desde o mês passado, adeptos do skate têm à disposição um sistema de aluguel em cinco paradas, escolhidas por serem próximos de praças e vias com infraestrutura dedicada ao esporte. O Parque Villa-Lobos, na zona oeste da capital, recebeu a novidade bem na frente do portão de aluguel de bikes.

A professora de inglês Tatiane Jasiewicz, de 40 anos, costuma pegar emprestada a “bicicleta família” (que tem três lugares) quando visita o parque, por insistência da filha, de 5 anos. Ao saber que o aluguel de skate era de graça por três horas, ela apoiou a iniciativa. “Se a minha filha pedisse o skate, eu alugaria com certeza”, afirma. “Acho caro pagar R$ 25 pela bicicleta por uma hora.”

Um grupo de quatro amigos skatistas, que mora em Guarulhos, na região metropolitana, recomendava o serviço. “Para quem está começando a aprender, é muito legal. É uma forma de incentivo”, disse Guilherme Hernandez, de 26 anos. “Sem contar que transportar skate no metrô e no ônibus é ruim, atrapalha os outros passageiros”, afirmou Igor Pizzoto, de 27 anos.

Chiara Martini, gerente de mídia e conteúdo da marca de cervejas responsável pela iniciativa, diz que a locação do skate “corrobora a vontade do paulistano de curtir o fim de semana fora de casa, com alternativas divertidas”. A ação vai até o dia 17, mas existe a possibilidade de o programa ser continuado, conforme a adesão.

Executivos e crianças. Uma opção para quem gosta de bicicleta, mas não quer ser obrigado a fazer exercício, é alugar uma bike elétrica. A empresa E-Moving, aberta no ano passado, focou na praticidade para montar o negócio. “Acreditamos que seja o modal mais democrático, porque permite que pessoas sem condições físicas ou até mesmo com algum problema cardíaco possam circular com todos os benefícios de locomoção e um mínimo de esforço”, explica o sócio-fundador, Gabriel Arcon.

Os executivos são o alvo. Por isso, os sete pontos de locação pela capital estão em hotéis ou empresas. “Clientes corporativos precisam locomover-se com roupas sociais para chegar a uma reunião, almoço ou trabalho. Se a bike não der um ‘empurrãozinho’, eles vão chegar suados e causar má impressão”, diz Arcon. Não precisa ser hóspede ou funcionário das empresas para retirar as bikes.

Já as crianças são contempladas de forma mais ampla no JK Bike, sistema de empréstimo de bicicletas, skates e patinetes dentro do Shopping JK Iguatemi, na zona oeste de São Paulo. Há patinetes para crianças de 3 a 11 anos e 12 modelos de bikes com aros de 16 a 26. Uma das bicicletas tem um carrinho de bebê acoplado.

Os interessados podem aproveitar os equipamentos, alugados por hora, no Parque do Povo e na ciclofaixa montada na frente do shopping aos domingos.

SERVIÇO

SKATES PRAÇA ROOSEVELT, PARQUE DO IBIRAPUERA, AV. DR ARNALDO, PARQUE VILLA-LOBOS E AV. PAULISTA

RETIRADA: DAS 8H ÀS 22H

PREÇO: GRÁTIS NAS PRIMEIRAS 3 HORAS

BICICLETAS, SKATES E PATINETES 1.° SUBSOLO DO JK IGUATEMI

RETIRADA: DAS 8H ÀS 17H, SÓ NO FIM DE SEMANA

PREÇO: DE R$ 10 A R$ 25 POR HORA

BICICLETA ELÉTRICA HOTÉIS IBIS BUDGET PARAÍSO, PAULISTA E JARDINS E MAIS 4 EMPRESAS

RETIRADA: HORÁRIO COMERCIAL PREÇO: R$ 13 POR HORA

Tudo o que sabemos sobre:
São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.