JF Diório/AE
JF Diório/AE

Após ajudar Corinthians, Kassab estuda 'pacote de bondades' para outros clubes

Com apoio na construção do Itaquerão, prefeito quer conter ciúmes do São Paulo, Palmeiras e Portuguesa

Adriana Ferraz, Felipe Frazão e Marcelo Godoy,

19 Dezembro 2011 | 23h51

SÃO PAULO - Para conter o ciúmes causado pelos benefícios concedidos na construção do Itaquerão do Corinthians, o prefeito Gilberto Kassab (PSD) prepara um "pacote de bondades" para São Paulo, Palmeiras e Portuguesa. As ações ainda estão sendo discutidas - estuda-se, por exemplo, estender o comodato de algumas áreas públicas hoje usadas pelos clubes.

"Criei um grupo de trabalho para avaliar como dar apoio aos demais clubes de São Paulo", explica o prefeito. "Entendo esse apoio como um compromisso nosso com a sociedade. É uma demanda que noto nas ruas."

A informação foi dada durante entrevista nesta segunda ao Estado, na qual Kassab não só falou sobre nós de sua gestão - na saúde, na prevenção às enchentes, na conservação e limpeza da cidade e até nas denúncias de irregularidades em sua gestão - como adiantou o que pretende fazer com orçamento de R$ 38 bilhões em 2012, seu último ano de governo.

Disse ainda que não vai cumprir as 166 metas de sua gestão. Mas, apesar disso, acredita que vai fazer seu sucessor nas eleições do próximo ano: "Estou muito feliz com os resultados. Minha gestão não é de planejamento, mas de execução. E quero ter a alegria de entregar a Prefeitura a um candidato bem preparado."

Sobre o pacote de benesses aos clubes, o prefeito diz que hoje vai se encontrar com o presidente do São Paulo Futebol Clube, Juvenal Juvêncio. Vai conhecer o projeto do tricolor para cobrir o Morumbi e construir um hotel ao lado do estádio - para tanto, o zoneamento da área deve mudar. "Vamos ouvir também as demandas de Palmeiras e Portuguesa." Neste ano, a Prefeitura concedeu benefícios fiscais de R$ 420 milhões ao Corinthians na construção de seu estádio e, desde então, tem sido comum em algumas agendas públicas que o prefeito seja cobrado por torcedores alviverdes, tricolores e lusos.

Na sexta-feira, Juvenal apresentou o projeto do Morumbi aos conselheiros do clube. O São Paulo espera obter o aval para as obras em 60 dias. O Palmeiras, que constrói uma nova arena no Parque Antártica, quer os mesmos incentivos fiscais obtidos pelo Corinthians ou a redução das contrapartidas exigidas pela Prefeitura. "Espero que haja um avanço sobre essas questões em 2012", diz o presidente do clube, Arnaldo Tirone. Já a Portuguesa reivindica que não haja cobrança de aluguel pelo uso do terreno que o clube ocupa no Canindé.

Pacaembu. Para completar o "pacote", Kassab defende que o Estádio do Pacaembu ganhe proteção acústica e maior estacionamento. O plano é acabar com o tobogã e refazer a concha. Também seriam feitas duas garagens subterrâneas, para que o estádio receba jogos e shows menores após inauguração do Itaquerão.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.