Após acidente, Ministério do Trabalho embarga obras do Aeroporto de Viracopos

Na terça-feira, 14 operários que trabalham na ampliação do terminal ficaram feridos

Sarah Brito, Especial para o Estado

02 Maio 2013 | 15h57

CAMPINAS - As obras de ampliação do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, estão paralisadas desde quarta-feira, 1, devido a um embargo parcial do Ministério do Trabalho e Emprego, após acidente que deixou 14 operários feridos. Eles caíram de uma altura de 10 metros, em uma estrutura de madeira, na noite de terça-feira, 30.

O ministério embargou serviços feitos em altura e parte das concretagens nas obras de ampliação e as fiscalizações continuam nesta quinta-feira, 2. Além do embargo, as obras estão paradas porque o acidente coincidiu com o dissídio dos operários de Viracopos, que iniciaram paralisação para adiantar pauta de reivindicações com as empresas, segundo o Sindicato da Construção Civil de Campinas e Região.

Esse é o segundo acidente nas obras de ampliação do aeroporto - o primeiro ocorreu há 40 dias e deixou um operário morto por soterramento em outra área da obra. No acidente de terça-feira, uma vítima ficou em estado grave e foi encaminhada para o Hospital Mário Gatti com traumatismo craniano e torácico - ele permanece internado e tem o quadro de saúde estável.

Segundo a prefeitura, dos sete trabalhadores que estavam em hospitais municipais após o acidente, quatro receberam alta e três foram transferidos para outra unidade médica. Em nota oficial, o Consórcio Construtor Viracopos, que é responsável pelo aeroporto, informou que prestou imediato atendimento aos operários e que vai apurar as razões do acidente. As obras de ampliação de Viracopos vão elevar a capacidade do aeroporto de 9 milhões de passageiros por ano para 14 milhões de passageiros/ano, até 2014, quando ocorre a Copa do Mundo. No local, trabalham cerca de 3,5 mil pessoas.

Mais conteúdo sobre:
Viracopos Campinas Aeroporto Obras acidente

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.