Após 7 anos, Rodoanel ganha barreira acústica

Após sete anos de disputa judicial, moradores de Tamboré, na Grande São Paulo, chegaram a um acordo para a instalação de barreiras acústicas na altura do km 12 do Trecho Oeste do Rodoanel. As obras, que estão sendo feitas pela CCR, concessionária que assumiu a rodovia em 2008, já começaram e devem estar prontas em janeiro de 2011.

Bruno Tavares e Diego Zanchetta, O Estado de S.Paulo

15 Dezembro 2010 | 00h00

Estão sendo erguidas duas linhas de barreiras - uma no canteiro central e outra na faixa lateral da rodovia, próximo do muro do Condomínio Residencial Tamboré 1. Cada uma terá cerca de 700 metros de extensão.

A luta dos moradores contra o barulho do Rodoanel começou em 2003, quando a Associação Fazenda Tamboré Residencial ingressou com ação para obrigar a Dersa a instalar as contenções acústicas. Dois anos depois, a 1.ª Vara de Barueri determinou a colocação da barreira. Embora estivesse prevista no Estudo e Relatório de Impacto Ambiental do Trecho Oeste, a exigência jamais havia sido cumprida.

"À vista do meu cliente, esse prolongado descumprimento por parte da Dersa é inaceitável", disse o advogado Pedro Bruning do Val, que representa a associação. Ele vai pedir à Justiça a execução da multa por descumprimento imposta à Dersa, estimada R$ 5 milhões.

Num dos acórdãos do Tribunal de Justiça de São Paulo sobre o caso, o desembargador relator, Torres de Carvalho, advertiu a Dersa. "Percebe-se que a ré não compreendeu ou não quis compreender a sentença e o acórdão. Há duas opções: a ré pode construir a barreira acústica sugerida pela autora ou pode construir outra de outro tipo, desde que eficaz para mitigar os ruídos; mas o prazo para execução é um só".

A Dersa diz que "não se negou a fixar prazo para construção de barreira, apenas achou insuficiente, à época, o prazo concedido pelo Judiciário".

PARA LEMBRAR

"Asfalto silencioso" já foi testado

Essa não é a primeira vez que se tenta amenizar o barulho criado pelo intenso tráfego de veículos no Rodoanel. Perto de onde estão sendo erguidas as barreiras sonoras, a concessionária CCR testou um asfalto "silencioso".

O pavimento, que entre seus componentes tem borracha de pneu reciclado, também evita o chamado "splash", spray de água formado a partir da passagem dos carros. O material começou a ser colocado entre os km 20 e 23,5 do Trecho Oeste do Rodoanel para avaliação dos resultados. Moradores dos condomínios vizinhos da rodovia, no entanto, dizem que o pavimento tem pouco efeito na redução do barulho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.