Após 6 horas, sequestrador exige presença de juiz em Santos

Homem invadiu a creche às 9h30 e motivo do sequestro seria ciúme; Gate está no local para negociar rendição

Rejane Lima, O Estado de S. Paulo,

14 de setembro de 2009 | 15h51

O comandante do 6º Batalhão da Polícia Militar de Santos, no litoral paulista, Armando Bezerra Leite, informou que o homem que mantém três pessoas como reféns em uma creche tem 17 anos. Após 6 horas de sequestro, Fábio pediu a presença de um juiz no local.

 

Natural de Sergipe, o rapaz, que não tem parentes na região, mora há cerca de três meses com uma das vítimas, a cozinheira Marília de Jesus Santos, de 45 anos, com quem mantém um relacionamento. O motivo da invasão seria ciúmes.

 

Durante a manhã, segundo o comandante, o adolescente exigiu a presença de um ex-namorado da cozinheira, mas o pedido foi negado pela polícia. Depois de 6 horas de cárcere, as negociações avançam e, segundo Bezerra, ele mostra sinais de cansaço e demonstra que vai se render.

 

Por volta das 13h30, o Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) chegou ao local. Cerca de 15 homens com viaturas do esquadrão antibombas estão do lado de fora do imóvel. O Gate estuda a possibilidade de invadir o local. Segundo o major Brito, a situação é de crise e o clima é tenso.

 

Antes da invasão, Fábio furtou uma faca em um açougue. Ele usa a faca para ameaçar as vítimas. Além da ex-namorada estão em cárcere o coordenador da creche, José Carlos de Jesus Reis, de 24 anos, e uma monitora. O criminoso e as três vitimas estão isolados em um cômodo do local e a polícia negocia do lado de fora do quarto, em uma sala.

  

As crianças que estavam na creche no momento da invasão não tiveram contato com o criminoso. As cerca de 70 crianças foram liberadas por volta das 11 horas. Uma menina de 12 anos estava entre os reféns. Porém, ela foi liberada sem ferimentos após negociação com a polícia.

Mais conteúdo sobre:
sequestroSantos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.