Após 50 dias, vítima de explosão no Conjunto Nacional tem alta

Outra vítima do incêndio no edifício da Avenida Paulista morreu no dia 7 de agosto, por conta de complicações

Fabiana Marchezi, estadao.com.br

11 de setembro de 2008 | 14h33

Após 50 dias, Rildo Elias Soares, uma das vítimas da explosão na parte externa do Conjunto Nacional, em São Paulo, recebeu alta na tarde desta quarta-feira, 10, segundo a assessoria de imprensa do Hospital das Clínicas, onde ele estava internado desde o dia 22 julho.   Veja também: Explosão no Conjunto Nacional assusta pedestres na Paulista   Soares teve queimaduras em 15% do corpo, fratura exposta na perna direita e chegou a ficar internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital em estado grave. No dia do acidente, ele foi submetido à cirurgia e depois seu quadro se agravou. Porém, segundo o hospital, ele foi melhorando gradativamente e pôde ser liberado nesta quarta.   Por conta da explosão, Santo Galli Sobrinho, o outro homem que também trabalhava no local, teve 60% do corpo atingido por queimaduras de até 3.º grau e, após passar vários dias internado, morreu devido a um quadro infeccioso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.