Gabriela Biló/Estadão
Gabriela Biló/Estadão

Após 3 bilhetes premiados, lotérica da Mega atrai apostadores em Parelheiros

Até quem nunca apostou resolveu tentar a sorte no estabelecimento localizado no extremo sul de São Paulo

Felipe Resk, O Estado de S.Paulo

05 de janeiro de 2018 | 06h00

SÃO PAULO - Em Parelheiros, extremo sul de São Paulo, moradores ganharam um motivo para acreditar na sorte. Foi a Loteria Parelheiros, localizada em uma avenida comercial, a responsável por vender 3 dos 17 bilhetes premiados da última Mega da Virada. Registrados por um único sortudo. Após o réveillon, a lotérica viu as filas encherem. Entre as pessoas, há velhos apostadores, mas também os que antes nunca haviam feito nem um joguinho sequer.

+++ Três bilhetes premiados da Mega da Virada em SP são da mesma pessoa

A última Mega da Virada teve prêmio recorde, acima dos R$ 306 milhões. Nesta quinta-feira, 4, por volta das 15h30 e sob sol de 30°C, dezenas de pessoas se espremiam em três filas. “Não jogo, mas agora deu esperança de ganhar”, disse a cabeleireira Fabiana Domingues, de 30 anos.

+++ Dezessete apostas dividem o prêmio da Mega da Virada

Apostador inveterado, o caminhoneiro Edson Alcântara, de 50 anos, fez 50 jogos da Timemania e 20 da Quina. “Eu compraria uma fazenda lá na Bahia. Sou de Teixeira de Freitas, uma cidade perto de Prado, onde teve outro ganhador da Mega.”

Sortudo

Foi a primeira vez que a lotérica teve um ganhador da Mega-Sena. “Sempre achei que era balela, até sair aqui”, contou Jéssica Santos, de 25, que há dois anos é atendente da Loteria Parelheiros. 

Segundo a Caixa Econômica, os bilhetes premiados foram registrados com intervalo de poucos minutos - e o apostador não deve ter percebido que passou o mesmo jogo repetidas vezes. “Foi inusitado”, disse Jéssica. “Mas é comum pedirem para validar o mesmo jogo duas ou três vezes para dar sorte.”

 

O prêmio causou burburinho no bairro. Por lá, sabe-se que a aposta era, na verdade, de um bolão, embora tenha sido registrada como jogo simples. Dos palpites de vizinhos, o campeão é o de que os ganhadores são funcionários de um supermercado da região. “Desde a Virada, todo dia aparece menos gente para trabalhar aqui”, afirmou um frequentador do local. 

O gerente do estabelecimento negou. “Todos os funcionários foram orientados a não falar porque estão surgindo muitos comentários. Por enquanto, são só boatos”, disse. “E, até agora, ninguém faltou ao trabalho.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.