Após 2 semanas, Pinpoo, enfim, está em casa

Cachorro ficou perdido em matagal no Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre; ontem, passou o dia com a dona e comeu bolo de aniversário

Elder Ogliari / PORTO ALEGRE, O Estado de S.Paulo

18 Março 2011 | 00h00

Duas semanas depois de sumir, o cachorro Pinpoo foi encontrado e passou o dia de ontem nos braços da dona, a aposentada Nair Flores, de 64 anos. À tarde, até comeu bolo por ter completado 11 meses. A busca terminou no fim da noite de anteontem, quando três policiais militares foram à casa da aposentada e entregaram o cão. Ele logo pulou no colo da dona, encheu-a de lambidas e recebeu diversos beijos. "É ele, com todos os defeitos e manias."

A aventura do animal perdido no Aeroporto Salgado Filho mobilizou a dona, comunidades de Porto Alegre, Brigada Militar e funcionários da Infraero e da Gollog. Resultado do cruzamento das raças pinscher e poodle, Pinpoo viajaria como carga de Porto Alegre para Vitória, no Espírito Santo, no dia 2. Segundo funcionários do aeroporto, ele escapou da caixa de transporte e sumiu.

Ao saber da fuga, Nair voltou à capital gaúcha e passou a procurar Pinpoo diariamente no aeroporto - até rompeu um tendão na busca. Na segunda-feira, chegou a levar para uma clínica um cão semelhante a Pinpoo que moradores de Alvorada, na região metropolitana de Porto Alegre, haviam encontrado. Mas, na terça-feira, concluiu que aquele animal não era o seu e disse que só o levaria para casa se fosse provada sua identidade por exame de DNA.

O Pinpoo real perdeu-se em um matagal próximo do hangar do Batalhão de Aviação da Brigada Militar, ao lado da pista do aeroporto. No sábado, foi visto por policiais, mas fugia quando se aproximavam. Os policiais resolveram atraí-lo com comida. Anteontem, ele não resistiu ao cheiro de um pedaço de frango e entrou em uma sala, onde foi fechado.

A Gollog informou, por meio de sua Assessoria de Imprensa, que o suposto Pinpoo, aquele que está em uma clínica, será encaminhado para adoção. A aposentada promete processar a empresa pelos danos que sofreu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.