Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Após 19ª alta seguida, Cantareira recupera 2ª cota de volume morto

Principal manancial da Grande SP atingiu 10,7% da capacidade; Sistemas Rio Claro e Alto Tietê, por sua vez, ficaram estáveis

O Estado de S. Paulo

24 Fevereiro 2015 | 09h03

Atualizado às 9h30

SÃO PAULO - Mesmo sem registrar chuvas nas últimas 24 horas, o nível do Sistema Cantareira subiu 0,1 ponto porcentual nesta terça-feira, 24, atingiu 10,7% de sua capacidade e chegou ao nível original da segunda cota do chamado volume morto, que passou a ser explorada pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) em outubro de 2014. Os 105 bilhões de litros de água são represados abaixo dos túneis de captação. Já os 182,5 bilhões de litros da primeira cota foram acrescentados em maio.

Trata-se do 19.º dia seguido de alta do Cantareira. Além dele, o Cantareira, o Sistema Alto Cotia foi o único a subir entre todos os mananciais que abastecem a Grande São Paulo. Ali, a reserva subiu de 36,4% para 36,7% nos últimos dois dias. Este foi o único manancial que registrou chuva significativa entre segunda-feira, 23, e terça-feira: 3,6 milímetros.

Sem chuvas, os Sistemas Rio Claro e Alto Tietê se mantiveram estáveis. O primeiro ficou em 18,3%. O outro, em 35,4%. 

Já os Sistemas Guarapiranga e Rio Grande observaram queda em suas reservações. No Guarapiranga o volume baixou de 57,5% para 57,4%. A queda foi maior no Rio Grande, onde o volume caiu de 83,4% para 83,1%.

Mais conteúdo sobre:
Sabesp crise da água

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.