Após 17 anos, pai e filho se conhecem na cadeia no interior de São Paulo

Homem, que matou a mulher, foi preso por ameaçar o enteado; jovem estava detido por roubar posto

Chico Siqueira, especial para O Estado de S.Paulo

30 de janeiro de 2012 | 15h27

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO - Um pai e um filho, que não se viam há mais de 17 anos, se reencontraram na cadeia da delegacia de São José do Rio Preto, no interior de São Paulo, no sábado. O pai, o motorista Orival Raimundo de Souza, de 54 anos, foi detido em mandado de prisão por crime de ameaça, enquanto o filho é acusado de roubar um posto de combustível.

O desempregado Orival Raimundo de Souza Júnior, de 19 anos, foi levado ao plantão ainda na manhã de sábado pelos PMs. Enquanto aguardava numa cela do plantão ficou sabendo que seu pai, que ele não conhecia, estava sendo preso por um crime de ameaça. Minutos depois, os dois se encontraram na delegacia. O pai tinha visto o filho pela última vez em 1994, quando ele tinha um ano e meio de idade.

Durante o encontro, o motorista chegou a pedir a desculpas para o filho e tentou explicar os motivos que o levaram a não procurá-lo, mas o rapaz não aceitou as justificativas, embora o tenha perdoado. "Ele matou minha mãe e o perdoo por isso. Mas cada um que procure seu caminho", disse o rapaz.

 

Chorando, o pai ainda prometeu recompensar o filho. "Foi por ciúmes que tudo aconteceu, mas já estive preso e paguei pelo meu crime. Agora vou arranjar um jeito de recompensá-lo, vou mandar um carro para ele", prometeu o pai. Segundo ele, a família de sua ex-mulher impediu que o filho o conhecesse.

Souza matou a mãe do seu filho, Rita de Cássia Giule, a facadas, em 1994. Ele cumpriu seis anos e meio de prisão. Agora estava sendo preso por ter ameaçado um enteado em 2008, cujo mandado expedido pela 3ª Vara Criminal de Rio Preto estabelece pena de três anos de prisão em regime semiaberto.

Hoje o pai foi transferido para uma cela da carceragem da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) enquanto o filho, por não ter sido preso em flagrante, foi colocado em liberdade.

Tudo o que sabemos sobre:
reencontropaifilhopresídioSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.