Governo de São Paulo/Divulgação
Governo de São Paulo/Divulgação

Após 13 dias, Bombeiros encerram buscas em prédio que desabou e são homenageados

Quatro pessoas continuam desaparecidas; corpos das vítimas podem ter sido pulverizados e serão identificados em entulhos recolhidos

Juliana Diógenes, O Estado de S.Paulo

13 Maio 2018 | 12h38

Após 13 dias de trabalho, o Corpo de Bombeiros encerrou neste domingo, 13, os trabalhos de busca por desaparecidos e retirada de escombros no edifício Wilton Paes de Almeida, no Largo do Paiçandu, no centro de São Paulo.  Uma homenagem foi prestada ao serviço dos bombeiros. O incêndio e o desabamento do prédio de 26 andares ocorreram nas primeiras horas do dia 1º de maio. 

Neste sábado, 12, foi confirmado que as ossadas de duas crianças encontradas nos escombros do edifício Wilton Paes de Almeida, no centro de São Paulo, nesta quarta-feira, 9, são dos gêmeos Wendel e Werner da Silva Saldanha, de 10 anos. Além deles, já foram identificados  Ricardo Oliveira Galvão Pinheiro e Francisco Lemos Dantas. 

A mãe dos irmãos, Selma Almeida da Silva, e mais três pessoas continuam desaparecidas: o casal Eva Barbosa Lima, 42, e Walmir Sousa Santos, 47, e Gentil Rocha de Sousa, de 54 anos. 

O nome de Gentil Rocha de Sousa, de 54 anos, foi oficialmente adicionado à lista de desaparecidos na sexta-feira, 11, após sua família registrar um boletim de ocorrência de desaparecimento nesta manhã. Ele morava no prédio e, desde o incêndio, não foi visto por vizinhos e não entrou em contato com parentes. 

+++Responsável por arrecadação em prédio que desabou nega cobrança de aluguel

Segundo o Núcleo de Biologia e Bioquímica do Instituto de Criminalística, o DNA recolhido dos remanescentes humanos de duas crianças encontrados apresentou vínculo genético com o material fornecido pela família dos gêmeos. 

Uma homenagem foi prestada aos bombeiros na manhã deste domingo após o encerramento oficial dos trabalhos. O governador de São Paulo Márcio França e o secretário da Segurança Pública Mágino Alves Barbosa estiveram no local.

+++ Polícia confirma que restos mortais encontrados no prédio de SP são de gêmeos de 10 anos

Segundo Barbosa Filho o, os bombeiros "fizeram tudo o que podia". O secretário afirmou ser provável que os corpos estejam na área do incêndio em estado já pulverizado.

"Os corpos podem ter sofrido os efeitos do calor excessivo no local e podem ter simplesmente pulverizado. Os bombeiros encerraram agora essa etapa do seu trabalho e, a partir de agora, vamos ter uma estabilização da área. O entulho que foi retirado volta para a cratera existente ali para estabilizar o terreno", afirmou o secretário.

+++ Vaquinha ajuda moradores do Largo do Paiçandu

+++ Homem dado como desaparecido após desabamento volta e presta depoimento à polícia

O governador afirmou que a partir de agora a Prefeitura tomará conta da área. “Estamos aqui no Largo do Paissandu finalizando os trabalhos dos bombeiros tentando aqui do rescaldo que sobrou fazer a devolução da área para prefeitura. A gente lamenta bastante o ocorrido, as pessoas que se perderam aqui”, disse.

+++ 162 movimentos disputam lugar na fila de moradia popular da capital paulista

“Quero enaltecer o trabalho de quase 1700 bombeiros que trabalharam incessantemente desde o dia da ocorrência e conseguiram salvar muito mais vida. Eu quero cumprimentar todos esses profissionais, heróis dos bombeiros pelo trabalho feito até agora daqui para frente a prefeitura vai tomar contar da área”, afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.