'Após 10 minutos, as pessoas começaram a ter claustrofobia'

Uma usuária de um trem da Linha 4-Amarela do Metrô evacuado na manhã de ontem informou que o alarme de emergência foi acionado cerca de 10 minutos depois que a energia acabou, porque as pessoas não conseguiam respirar dentro da composição. Marina Almendro disse que, com o corte de energia, as luzes se apagaram - apenas as de emergência ficaram acesas - e o ar-condicionado foi desligado, deixando os passageiros inquietos. "Com o metrô superlotado não é nem preciso dizer que o ar começou a ficar rarefeito e as pessoas, assim como eu, começaram a sentir claustrofobia após 10 minutos."

O Estado de S.Paulo

01 Março 2012 | 03h02

Segundo ela, que seguia para o trabalho, as pessoas começaram a descer nos trilhos e se dirigiram para a plataforma da Estação Faria Lima que, segundo a ViaQuatro, estava a cerca de 50 metros do local em que o trem parou. Mariana reclamou da falta de informação no momento e disse que as pessoas estavam com medo de descer e ser atropeladas por outra composição.

"O que surpreendeu foi o desrespeito e o descaso com os passageiros, já que nenhuma informação foi prestada, e nenhuma orientação foi passada para o caso de pânico", queixou-se. A ViaQuatro informou que a falta de eletricidade atingiu apenas trens próximos da Estação Faria Lima. O consórcio disse ter fornecido informações e orientação pelos alto-falantes. / F.T.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.