Aplicativo feito com dados da Prefeitura indica rotas para bikes

Projeto foi desenvolvido em ‘Hackatona’ da CET; mapa altimétrico permite ponderar quanto esforço é feito em cada percurso

Caio do Valle, O Estado de S.Paulo, O Estado de S. Paulo

25 de outubro de 2014 | 18h00

Quer andar de bicicleta, mas tem receio de enfrentar grandes subidas? Não sabe direito se tem uma ciclovia perto de casa? Um novo aplicativo, feito com base em dados da Prefeitura de São Paulo, pode resolver grande parte dos problemas, antes de se colocar a bike na rua. Lançado em setembro, o Bicidade mostra aos usuários as melhores rotas na capital paulista, levando em consideração aspectos como ladeiras e a presença de vias exclusivas para os ciclistas.

O projeto foi desenvolvido a partir da “Hackatona”, evento promovido em março pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) em que foram abertos ao público os bancos de informações do trânsito e do sistema de transportes, com o intuito de estimular a criação de ferramentas eletrônicas que auxiliem nos deslocamentos das pessoas em São Paulo.

O empresário Tiago Barufi, de 40 anos, em parceria com dois amigos, todos ciclistas contumazes, usou os dados para criar o aplicativo que calcula o melhor caminho para quem quer andar de bike entre dois pontos no Município. “Usamos um mapa altimétrico da Prefeitura para ponderar quanto esforço é feito em cada percurso. Na maior parte dos casos, se o ciclista fizer caminho um pouco mais longo, consegue contornar os locais íngremes.”

A iniciativa rendeu ao grupo a segunda colocação na “Hackatona”, garantindo-lhes R$ 7 mil. Hoje, a empresa de Barufi, chamada The Box, busca parceiros para aprimorar alguns aspectos do aplicativo e também lançá-lo para iPhone – por enquanto, só está disponível para o sistema Android.

Além dos dados do Município, o Bicidade usa a geocodificação do Google. “Mas para roteirizar usamos o mapa do nosso servidor. Em alguns casos, a via está errada, ou virou contramão. É mais uma coisa que pretendemos conquistar, uma licença de mapas mais moderna”, diz Barufi.

Opção. O empresário compara seu aplicativo ao Waze, usado por motoristas para fugir das rotas congestionadas. O cicloativista Willian Cruz, editor do site “Vá de Bike”, diz que nem sempre o Bicidade informa as melhores rotas. “Tenho impressão de que evita as grandes avenidas, então o trajeto não é sempre adequado para mim, pois a volta fica grande. Uso para uma consulta. E uso também o Google Maps, escolhendo um meio-termo entre a sugestão para carros e pedestres.” Desde setembro, o Bicidade foi baixado por mais de 800 pessoas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.