Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Apesar de pouca chuva, nível do Cantareira fica estável

Guarapiranga opera com 76,1% de sua capacidade e todos os demais mananciais registram queda no armazenamento

Fernanda Guimarães, O Estado de S. Paulo

01 de agosto de 2015 | 10h04

O nível do sistema Cantareira iniciou o mês de agosto estável em 18,7%, segundo o boletim da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). O volume do manancial, que atende a cerca de 5,2 milhões de pessoas, considera as duas cotas do volume morto em relação ao volume útil do sistema. Nas últimas 24 horas a pluviometria foi de apenas 0,2 mm.

Levando-se em conta as demais medidas do sistema, houve recuo do nível de armazenamento. Pelo cálculo que leva em conta o volume armazenado dividido pela soma do volume útil com as duas cotas de reserva técnica, o sistema caiu de 14,5% para 14,4%. Já considerando o índice negativo do sistema, que passou a ser divulgado pela Sabesp desde 16 de abril deste ano, após determinação judicial, o nível do Cantareira saiu  de - 10,5% para -10,6% hoje.

Guarapiranga. Atualmente o responsável por abastecer o maior número de pessoas na capital paulista e na região metropolitana, em razão da crise no Cantareira, o Guarapiranga registrou queda de 0,3 ponto porcentual, passando a operar com 76,1% da capacidade.

Todos os demais sistemas registraram queda do nível de armazenamento. O  sistema Alto Tietê viu seu nível de armazenamento cair de 18,3% ontem para 18,2% hoje, o Alto Cotia de 61,7% para 61,2%, o Rio Grande de 89,5% para 89,2% e o Rio Claro de 71,9% para 71,7%

Tudo o que sabemos sobre:
águaSabespCantareira

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.