Apagão deixa sem água bairros de 10 cidades

Árvores e semáforos voltam a causar transtornos; Procon quer explicação da Eletropaulo

Felipe Frazão, O Estado de S.Paulo

09 de junho de 2011 | 00h00

O vendaval trazido pela passagem do ciclone extratropical no Sul e Sudeste do Brasil continuou a causar transtornos ontem em São Paulo. Apesar do fim da ventania, milhares de pessoas passaram boa parte do dia sem energia - em algumas áreas o apagão persistia até a noite.

Por causa do blecaute, houve interrupção no sistema de trólebus de São Paulo e no fornecimento de água de nove cidades na Região Metropolitana e nas zonas sul e leste de São Paulo, além de problemas no trânsito. Às 19 horas, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) contabilizava 47 ruas sem luz e 39 semáforos com problemas - apagados ou intermitentes.

A AES Eletropaulo, concessionária responsável pela energia elétrica, não soube informar o número de prejudicados. A principal causa, segundo a empresa, foi a queda de 180 árvores sobre a fiação nas ruas, além de galhos, toldos e outros objetos arremessados por rajadas de vento de até 128 km/h anteontem. Ontem, a CET contabilizou 33 árvores obstruindo o trânsito.

O secretário estadual de Energia, José Aníbal, afirmou que o número de prejudicados chegou a 2,5 milhões entre anteontem e ontem. "No todo, 600 mil unidades (foram afetadas), fundamentalmente residenciais." Ele criticou a demora da Eletropaulo para resolver o problema. "As religações foram feitas em um tempo muito longo", disse.

O Procon informou que notificou a Eletropaulo a prestar esclarecimentos em 48 horas. A Ordem dos Advogados do Brasil, seção de São Paulo, também criticou a Eletropaulo e disse que a interrupção do serviço é suficiente para a concessão ser revista.

A Eletropaulo disse ter colocado 1.800 agentes para fazer reparos na Grande São Paulo, mas teve dificuldades em reestabelecer a luz em bairros como Alto da Boa Vista, Butantã, Pompeia, Vila Mariana, Pinheiros, Morumbi, Barra Funda e Santo Amaro. Na Freguesia do Ó, zona norte, uma árvore tombou sobre uma van escolar. Não houve vítimas.

Moradores de Santo André, Cotia, Osasco, Itapecerica da Serra e Carapicuíba também ficaram sem luz e reclamaram de falta de informações no call center da Eletropaulo. "Tive dificuldade em conseguir falar pelo telefone e as respostas eram sempre vazias", disse o médico Herbert Azambuja, da Granja Viana. A concessionária diz ter atendido 1 milhão de chamadas e 100 mil mensagens de texto com avisos de falta de energia - o dobro do que atende por mês. No fim da tarde, disse ter restabelecido 80% do fornecimento.

Choque térmico. As rajadas de vento chegaram a São Paulo por causa da aproximação de um ciclone extratropical originado no norte do Rio Grande do Sul. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a formação de ciclones nesta época do ano é normal, mas eles geralmente seguem para o oceano. Anteontem, entraram para o continente e encontraram uma massa de ar quente no Estado. O choque térmico causou chuva e vendaval. / COLABOROU CAIO DO VALLE

Onde reclamar

INDENIZAÇÃO DEVE SER PEDIDA À ELETROPAULO. A CONTA DE LUZ TEM O ENDEREÇO DO POSTO MAIS PRÓXIMO.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.