Apagão deixa mais de 535 mil sem luz na Baixada Santista

Fornecimento de energia chegou a ser interrompido por até 45 minutos em alguns pontos

estadão.com.br,

20 Dezembro 2011 | 03h31

SÃO PAULO - Pelo menos 535 mil moradores da Baixada Santista ficaram às escuras por cerca de 45 minutos durante a madrugada desta terça-feira, 20, por conta de uma falha no sistema de distribuição de energia elétrica, segundo a CPFL Piratininga, que em nota diz não ter responsabilidade no ocorrido.

Alguns pontos dos municípios de Santos, Guarujá, Cubatão, São Vicente e Praia Grande ficaram sem energia elétrica entre 1h25 e 2h05 e em outros lugares a luz foi interrompida entre 1h45 e às 2h15, segundo os bombeiros, que receberam muitas ligações de pessoas querendo informações a respeito.

Segundo nota da Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista (CTEEP), a falta de fornecimento ocorreu à 1h40 por conta do desligamento no setor de 88kV de sua subestação Baixada Santista, sendo que à 1h51 estava restabelecida a condição para o atendimento à demanda local.

Análises estão sendo feitas para identificar exatamente a origem do problema à instalação da CTEEP, que provocou a interrupção do fornecimento de energia elétrica. Até as 12 horas ainda não havia uma conclusão sobre o que teria provocado o apagão.

Segundo a CTEEP, como o sistema é interligado e, junto com a Empresa Metropolitana de Águas e Energia (Emae), abastece a distribuidora local, a definição da causa só será conhecida após uma análise que envolva ambas empresas.

Já a Emae informou que a usina Henry Borden foi atingida por uma forte variação de tensão e carga, tendo como consequência o desligamento das unidades geradoras pelos sistemas de proteção dos equipamentos, com o restabelecimento das cargas pela usina iniciado oito minutos após o desligamento, sendo concluído 20 minutos depois do evento. Segundo a Emae, as causas da falha estão sendo avaliadas pelos técnicos das empresas envolvidas com acompanhamento da Secretaria de Estado de Energia.

Em nota, a CPFL Piratininga informa que não tem responsabilidade pela interrupção no fornecimento de energia nas regiões da Baixada Santista. A falha ocorreu em sistema externo ao de distribuição da empresa, que provocou interrupção de energia para 535.300 clientes dos municípios de Santos, Praia Grande, São Vicente e Cubatão, que integram a área de concessão da CPFL.

Texto atualizado às 12h22

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.