Apae pede R$ 35 mil para reforma

A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de São Paulo precisa de R$ 35 mil para reformar sua Cozinha Especial, um de seus principais projetos de prevenção à deficiência intelectual. Inaugurada em 1996, a cozinha desenvolve produtos com baixo teor de proteínas, alimentos sem glúten ou lactose para pessoas com doenças metabólicas como a fenilcetonúria, doença metabólica sem cura, detectada no teste do pezinho.

O Estado de S.Paulo

24 de outubro de 2013 | 02h10

A campanha da Apae está sendo feita em parceria com o site Juntos.com.vc, que é um canal de financiamento colaborativo de projetos de organizações do terceiro setor e empreendedores sociais. Qualquer pessoa ou empresa pode contribuir para captar recursos. As doações podem ser realizadas somente pelo site http://www.juntos.com.vc/apaesp.

 

A campanha se encerra no próximo dia 1º de novembro e, se não alcançada a meta de R$ 35 mil reais, o dinheiro será devolvido aos doadores.

 

“Para a Apae de São Paulo, essa campanha é muito importante, pois com a ampliação da cozinha especial, poderemos ajudar muitas pessoas que possuem fenilcetonúria, já que a doença pode levar à deficiência intelectual, se não for controlada. O tratamento se baseia em uma dieta restritiva”, esclarece Isa Degaspari, gerente de desenvolvimento institucional.

 

Em pesquisa realizada pela Apae, constatou-se que, de  320 pacientes em tratamento, 140  são  pessoas com fenilcetonúria em alta vulnerabilidade social. Cruzando a incidência da fenilcetonúria com a taxa de natalidade no Brasil, estima-se que, todos os anos, nasçam aproximadamente 290 bebês com fenilcetonúria no País, que precisam de atendimento diferenciado.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.