Ao sair de casa, feirante e filho são executados na Vila Carrão

Segundo testemunhas, o assassino atirou sem falar nada e não levou os quase R$ 500 que as vítimas carregavam

O Estado de S.Paulo

01 Dezembro 2011 | 03h02

A feirante Kameko Asato Nakamatsu, de 70 anos, e o filho, Vicente Yassuiti Nakamatsu, de 45, foram assassinados na Vila Carrão, zona leste de São Paulo, ontem de manhã. Duas testemunhas presenciaram o crime e, segundo elas, um homem atirou na cabeça das vítimas, que estavam em uma Kombi, sem falar nada. A Polícia Civil investiga se mãe e filho foram vítimas de execução.

Kameko e o filho saíam de casa, na Rua Alumínio, por volta das 6h, para vender pastel em uma feira da Vila Zelina, também na zona leste, quando foram mortos. A mulher de Vicente, uma dona de casa de 41 anos, tinha acabado de tirar o Fiat Palio da garagem para que o marido pudesse sair com a Kombi.

Assustada, a dona de casa se abaixou no carro ao ver o criminoso atirando no marido e na sogra. A Kombi ficou desgovernada e atravessou uma praça que fica na frente da casa dos feirantes. O veículo só parou depois de derrubar um ponto de ônibus na Avenida Aricanduva.

Um morador de rua, de 46 anos, disse à polícia que o criminoso estava sentado na calçada e levantou rapidamente ao ver a Kombi deixando a garagem. Segundo o sem-teto, após o crime, o assassino correu até uma rua próxima, onde um comparsa o aguardava em um carro preto.

Com base no depoimento das testemunhas, que não ouviram o criminoso anunciar assalto, o delegado Fábio Ferreira Lins, da Central de Flagrantes da 5.ª Delegacia Seccional Leste, registrou o caso como duplo homicídio. Com as vítimas foram encontrados R$ 448,75 em dinheiro.

A motivação do crime será investigada pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que ainda ouviria a família das vítimas para saber se elas receberam alguma ameaça.

Segundo as testemunhas, o assassino é branco, magro, aparenta ter 19 anos e mede cerca de 1,78 m de altura. Ele vestia moletom branco com capuz e listras cinza. / G.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.