Ao lado da CDHU, casas estão invadidas

Ao lado da Vila Itororó, no Bexiga, na Rua Conde de São Joaquim, 257 pessoas ocupam três antigos galpões e 15 casas históricas desde agosto de 2003. A ocupação nos galpões, liderada pelo Movimento dos Sem-Teto, fica na frente do prédio da CDHU para onde serão removidas as famílias da Vila Itororó.

, O Estado de S.Paulo

05 de junho de 2010 | 00h00

Os sem-teto também querem vagas em um dos apartamentos do edifício. No galpão, três famílias chegam a dividir o mesmo barraco e a luz chega por meio de fiações expostas que atravessam quartos e os quatro banheiros coletivos. Em 2007, um incêndio destruiu 30 barracos e deixou 12 feridos.

Em condições sub-humanas, no meio de lixo acumulado e de ratos, as famílias dizem aguardar atendimento habitacional há três anos, desde o incêndio. "Receber um apartamento vai ser uma coisa abençoada. Viver aqui com a água da chuva e sem banheiro é um inferno", conta Maria Reis, de 51 anos, há quatro na invasão. Ela está entre os seis moradores dos galpões que vão para o conjunto da CDHU.

Os demais 251 moradores terão de esperar outros conjuntos habitacionais do Estado. Outros que chegaram após o cadastramento realizado em 2007 terão direito apenas a uma bolsa-aluguel de R$ 300 mensais pelo período de seis meses.

Na mesma rua ainda existem 15 casas da década de 19 40 transformadas em cortiços por cerca de 70 invasores. O esgoto sai das residências e escorre a céu aberto até o canteiro da Avenida 23 de Maio. "De madrugada, isso aqui vira uma penumbra, só tem "noia"", disse um morador. / D.Z.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.