Antigo motel vai virar hotel cinco-estrelas

A retomada urbanística e a sofisticação do centro do Rio também passam pelo setor turístico, que vê na região potencial para vagas de hotelaria em função da infraestrutura de serviços e transportes e da proximidade com atrações turísticas. Na Praça Tiradentes, revitalizada em 2011, o Edifício Paris, onde há poucos meses funcionava um motel, será restaurado para dar lugar a um "oásis de luxo", como o proprietário François-Xavier Dussol define o projeto do hotel Le Paris.

RIO, O Estado de S.Paulo

23 Setembro 2012 | 03h03

O novo hotel terá investimentos de R$ 10 milhões e as obras começam ainda neste ano, para que a inauguração aconteça em 2014. No projeto, apenas a fachada do prédio erguido em 1902 será mantida - o interior, totalmente reformulado, dará lugar a 21 suítes amplas, restaurante aberto ao público e um lounge vip na cobertura, com acesso apenas para pessoas associadas.

"Já queríamos ter um hotel ali, mas os grandes eventos aceleraram isso, trouxeram investimentos necessários à região, como no porto", afirma Dussol.

A sofisticação será a marca do empreendimento, em contraste com o uso recente, quando abrigava uma pensão ocupada por prostitutas. No novo projeto, a memória do lugar não será esquecida. Uma das suítes poderá ser reservada para períodos curtos, como um motel de luxo - as diárias devem ficar entre R$ 690 e R$ 2.300. "Essa região tem um lado Nova York e um lado colonial, isso é incrível", diz Dussol.

A área é considerada estratégica. Os casarões e prédios antes abandonados ou ocupados por lojas e escritórios populares, aos poucos, dão lugar a escritórios de advocacia de alto padrão e lojas de design.

Também estão previstas novas casas de show e a revitalização de um teatro municipal. Na praça, localizada a menos de um quilômetro da Lapa, há ainda outro grande teatro e a tradicional Gafieira Estudantina, entre outras atrações turísticas.

Perto dali, outra proposta mais acessível é comandada pelo arquiteto Hélio Pellegrino, que planeja abrir um albergue butique na Lapa. "Existe um movimento de retorno àquela região. Basta percorrer a área para ver as mudanças." Com foco na sustentabilidade, o albergue espera atrair o público frequentador do bairro boêmio, criando também um espaço para eventos. / ANTONIO PITA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.