Ano com clima de férias: queime calorias em quadras de areia

Quem gostou de se exercitar nas praias pode manter o ritmo na capital paulista e gastar muito mais energia

Guia Ação,

12 Fevereiro 2010 | 20h50

 
 
 Selo-Verao

SÃO PAULO - As férias acabaram, mas você não precisa esperar mais 11 meses pela sensação de sol a pino, brisa fresca e pé na areia. São Paulo tem locais públicos onde é possível praticar vôlei de praia, beach soccer e até frescobol. Tudo na areia. E com uma vantagem: esse tipo de exercício costuma render mais benefícios do que os praticados em uma quadra comum. No solo arenoso, o gasto calórico pode ser quase duas vezes maior (confira abaixo).

 

O estudante Victor Vinícius Ferreira Martins, de 16 anos, sabe bem a ‘canseira’ que a areia dá. Toda semana, ele treina beach soccer no Clube Escola Mooca, um dos pontos da cidade que contam com infraestrutura apropriada para modalidades de praia. "Jogar na areia exige muito mais do físico, mas isso ajuda a dar mais fôlego", conta o garoto, que participa de torneios representando o clube. Seu sonho mesmo é ser profissional - mas na grama. Para ele, contudo, jogar uma ‘pelada’ na areia sempre tem um clima mais amistoso.

 

Até os atletas profissionais concordam. "Jogar em um ambiente aberto, aproveitando o sol, o vento, é muito prazeroso. O astral é bem diferente. Quem joga na areia não quer mais voltar para a quadra", afirma a campeã de vôlei Ana Margarida Vieira Alves, a Ida, de 44 anos.

 

Ela fala com conhecimento de causa: medalha de bronze com a seleção feminina de quadra nos Jogos Olímpicos de Atlanta (1996), ela passou a competir na areia de 1996 a 2001, ao lado de parceiras como Adriana Bento e Jacqueline Silva. Segundo a ex-atleta, a adaptação ao terreno é fundamental. "Você tem de reaprender a andar, correr, saltar, perceber o tempo de bola, pois muda muito em relação ao jogo de quadra". Confira, nas páginas 7 e 8, as principais diferenças entre as modalidades.

 

Corpo preparado

 

"Por causa do terreno fofo, o gasto calórico em uma partida de futebol na areia pode ser até 70% maior do que em uma de futsal, por exemplo", afirma o fisioterapeuta Felipe Machado. A capacidade cardiorrespiratória e a resistência muscular também são mais exigidas. É preciso, porém, tomar certos cuidados durante a prática (veja abaixo).

 

Segundo o ortopedista Ari Zecker, as irregularidades na areia reduzem os impactos sobre as articulações dos joelhos, mas podem provocar lesões nos pés, tornozelos e lombar. E Machado adverte: se a brincadeira for muito pesada, nem mesmo o joelho resiste. "O exercício intenso causa fadiga muscular com mais facilidade. Nesse momento, o músculo já não responde mais ao exercício e torna certas partes do corpo mais vulneráveis, como os ligamentos." Então, cuide-se.

 

- Rosto e olhos

O sol pode causar insolação e cansar sua visão. Se possível, use boné e óculos escuros.

 

- Metabolismo

Hidrate-se! Água pode não ser suficiente, pois o corpo também perde muitos sais minerais. Prefira isotônicos.

 

- Pele

Você passa um bom protetor solar para ir à praia, não passa? A regra continua valendo.

 

- Músculos

Assim como em qualquer esporte, é importante se aquecer antes. Dez minutos de caminhada resolvem.

 

- Pés

Usar tênis na praia pode até deixá-lo fora de moda. Mas corredores têm de usar.

 

- Costas

O solo instável pode causar dor na lombar. Antes de começar, alongue-se bem.

 

- Tornozelos

Área de alto risco. Tornozeleiras elásticas protegem pele, tendões e ligamentos.

 

Piso novo, regras novas

Para não levar os atletas à exaustão, os regulamentos dos esportes de areia propõem disputas mais simples do que as praticadas em outras superfícies. Confira abaixo as mudanças em cada modalidade e a diferença de energia gasta em cada local.

 

VÔLEI

Na quadra: a área de 9 m X 18 m é ocupada por até sete jogadores, que devem ganhar três sets de até 25 pontos.

Na areia: a quadra é reduzida: 8 m X 16 m. As equipes são formadas por dois praticantes - mais raramente, usa-se quatro. O jogo é rápido: vence quem completar dois sets de 21 pontos.

Praticando vôlei na quadra, você perde em média: 295 Kcal/h. Na areia, você pode perder até: 501 Kcal/h

 

 

TÊNIS

Na quadra: o set é dividido em seis games, tanto para jogadores sozinhos quanto para duplas. A bola pode quicar na quadra antes de ser rebatida.

Na areia: não permite pingos: se a bola tocar o chão adversário, já é ponto. Nos jogos individuais, o set também vai até seis games, mas nas partidas de duplas, segue até nove. Em caso de empate, ocorre um tie-break até 7 pontos.

Praticando tênis na quadra, você perde em média: 341 Kcal/h. Na areia você pode perder até: 580 Kcal/h

 

 

CORRIDA

Não há diferenças nas regras. Mas, do ponto de vista fisiológico, sim.

No piso: há um impacto maior sobre as articulações e o cansaço muscular é progressivo.

Na areia: a fadiga chega mais rápido, mas em compensação as articulações sofrem menos. "Ainda assim, é importante que essa atividade seja feita com um tênis adequado, com bom sistema de amortecimento", reforça o ortopedista Ari Zecker.

Praticando corrida no piso, você perde em média: 490 Kcal/h. Na areia você pode perder até: 833 Kcal/h.

 

 

FUTEBOL

Na quadra: no futsal, a área de jogo mede 22 m X 42 m e a bola tem entre 62 e 64 cm de circunferência. A partida dura dois tempos de 20 minutos.

Na areia: o espaço mede 37 m x 28 m, no máximo. A bola é maior, com até 70 cm de circunferência. Cada jogo tem três etapas, mas mais curtas - são 12 minutos contados de modo regressivo.

Praticando futebol na quadra, você perde em média: 560 Kcal/h. Na areia você pode perder até: 952 Kcal/h

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.