Anna Carolina é transferida para penitenciária feminina

Anna saiu do distrito policial levada pelo delegado Luiz Antonio Pinheiro, do GOE

da Redação, estadao.com.br

08 de maio de 2008 | 10h04

A madrasta da menina Isabella de Oliveira Nardoni, Anna Carolina Trotta Jatobá, deixou a carceragem do 97º Distrito Policial (Americanópolis), por volta das 10 horas desta quinta-feira, 8. Ela foi transferida para uma cela provisória na Penitenciária Feminina do Estado, na zona norte de São Paulo. Ela foi presa na noite de quarta-feira, 7, e acabou sendo levada para o 97º Distrito Policial de Americanópolis, na zona sul da capital paulista, onde passou a noite. Anna saiu do distrito policial levada pelo delegado Luiz Antonio Pinheiro, do Grupo de Operações Especiais da Polícia Civil (GOE). A mulher foi denunciada pelo Ministério Público junto com seu marido, Alexandre Alves Nardoni, pela morte da enteada.   VEJA TAMBÉM Imagens da prisão de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá  Leia a conclusão da Justiça sobre o inquérito policial 'Nada muda' na defesa do casal Nardoni, dizem advogados Fotos do apartamento onde ocorreu o crime  Cronologia e perguntas sem resposta do caso  Tudo o que foi publicado sobre o caso Isabella     A viatura do Grupo de Operações Especiais (GOE) que transportava Anna Carolina entrou pelo portão errado, num estacionamento localizado na avenida Zaki Narchi, e foi obrigada a dar uma volta no quarteirão, entrando pelo portão principal, na avenida Ataliba Leonel.   A madrasta da menina deverá ser colocada em uma ala conhecida como "seguro" na penitenciária. A possibilidade de Anna Carolina ser levada para uma cela isolada deve-se ao fato de que as presas do Carandiru teriam dito que não aceitam sua presença na penitenciária, o que poderia colocá-la em risco.   Até o final da manhã, a Secretaria de Assuntos Penitenciários ainda não havia se pronunciado sobre os procedimentos relativos à prisão de Anna Carolina a partir de sua transferência para o Carandiru. O pai de Isabella, Alexandre Nardoni, continua preso no 13º DP, também na zona norte de São Paulo. A prisão preventiva do casal foi decretada no início da noite de quarta-feira, 7, pelo juiz da 2ª Vara do Júri do Fórum de Santana, Maurício Fossen, que também aceitou denúncia de homicídio contra Alexandre e Anna Carolina.   Noite isolados   Alexandre Nardoni e sua esposa Anna Carolina Jatobá passaram a primeira madrugada presos em caráter preventivo nesta quinta-feira, 8, em distritos diferentes da Capital. Alexandre foi encaminhado para o 13ºDP, na Casa Verde, zona norte de São Paulo, e Anna para o 97ºDP, na região de Americanópolis, do outro lado da cidade.    Depois que foram presos, Alexandre Nardoni e Ana Carolina Jatobá passaram pelo 9º Distrito Policial, onde assinaram documentos. Logo após, seguiram para o Instituto Médico-Legal para fazer exames. Só então foram levados para os distritos, já durante a madrugada, onde passaram a noite isolados. Na delegacia da zona norte da cidade, o pai de Isabella ficou sozinho em uma cela. Ele chegou por volta da 1h30 e passou uma noite de muito frio, segundo reportagem da TV Globo.   A cela onde ele está é menor do que as outras que tem na delegacia. Há um colchonete, banheiro e chuveiro, bem diferente da outra em que ficou preso da primeira vez, onde não havia nem colchão. Esta cela em que Alexandre está agora é chamada de cela flagrante. Para lá, vão os presos assim que eles chegam da rua. Normalmente, os presos ficam nela por um dia ou uma noite e depois são colocado em contato com outros presos.   No caso de Alexandre, o delegado ainda não informou quando ele fará essa transferência e colocá-lo em contato com outros detentos. O que se sabe é que as portas de todas as celas são abertas para que os presos possam tomar sol. Ficam assim até 17 horas. O café da manhã já foi servido aos presos: pão com manteiga e leite. Alexandre deve ficar na delegacia ou até o dia do julgamento ou até que a Justiça decida pelo pedido de habeas-corpus. Esse pedido deve ser feito pelos advogados do casal.   Já a delegacia onde está presa Anna Carolina, a cela tem 18 metros quadrados, sem chuveiro e sem cama e os presos não podem sair para tomar sol. Segundo policiais, ela passou a noite deitada em um papelão, enrolada em um edredom que foi levado pelos advogados.Ela permanece em cela separada das demais presas. Durante parte da noite, ela leu a Bíblia e depois conseguiu dormir. Quando chegou ao distrito, por volta da 1 da madrugada, as celas estavam vazias e só durante a madrugada, duas mulheres foram detidas, uma por desacato e outra por roubo. Além do edredom, Anna Carolina trouxe de casa uma tolha de banho e um pacote de bolachas. Já de manhã, por volta das 7 horas, foi servido o café da manhã, composto por café, leite e pão com manteiga.   De acordo com a polícia, Anna Carolina deverá ser removida para outro distrito ou para um Centro de Detenção Provisória no período da tarde. O juiz já marcou a data do interrogatório de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá. Será no dia 28 de maio. Além dos réus, a Justiça também vai ouvir as testemunhas destacadas pela promotoria e pela defesa do casal.

Tudo o que sabemos sobre:
caso Isabella

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.