Aniversário do Obelisco do Largo da Memória tem agenda cultural

Programação oficial tem 56 apresentações artísticas até 2 de novembro; obra foi restaurada neste ano pela prefeitura

O Estado de S. Paulo

17 de outubro de 2014 | 23h14

SÃO PAULO - A prefeitura entrega neste sábado, 18, o recém-restaurado Obelisco do Largo da Memória, no centro, que completa 200 anos e é o monumento mais antigo da capital. A recuperação da obra também terá o restauro do painel de azulejos e a reativação da fonte de água do local. 

Para a festa do bicentenário do Obelisco, a prefeitura ainda organizou uma programação com 56 apresentações artísticas, com teatro, música, dança, circo, intervenções urbanas e estátuas vivas. Veja a programação completa, que vai até 2 de novembro:

Palestra

A palestra abordará a história do Largo, Política do Patrimônio e o lançamento de um projeto que pretende discutir e revitalizar as Fontes e Chafarizes da Cidade de São Paulo. Com o professor Benedito Lima de Toledo, Nadia Somekh (Diretora do DPH e Presidente do Conpresp), Mariana Falqueiro (Chefe da Seção Técnica de Monumentos e Obras Artísticas), Marcelo Graglia (PUC e Media Lab), Newton Massafumi (Gesto Arquitetura), Sidnea Souza (Ação Local Ladeira da Memória).

| Biblioteca Mario de Andrade - Auditório. Dia 21/10, 18h

Programação no Largo da Memória

Largo da Memória, s/nº, Centro. Ao lado da estação Anhangabaú do metrô. Grátis

Orquestra na Rua

É uma iniciativa do violoncelista e arranjador Matheus Bellini e o violinista Caio Forster. O evento reúne instrumentistas eruditos para formação e apresentação de uma orquestra em local público. Encerramento da programação do Bicentenário da Ladeira da Memória com este incrível e inusitado flash mob.

| Dia 02/11, 17h

Azerutan – Iemanjá

Quem anda pelas ruas do Centro de São Paulo o conhece, por ao menos um de seus tantos personagens já conhecidos: Fernando Pessoa, São Francisco de Assis, Santos Dumont ou, mais recentemente, Iemanjá. Azerutan é referência quando falamos de estátua viva e é também responsável pela criação visual de tantas outras espalhadas pela cidade.

| Dia 20/10, 12h

Bruno Kioshi

Bruno Kioshi é baterista e percussionista profissional e há dois anos idealizou o projeto Tocatas Urbanas - Ao ar livre na Av. Paulista - SP. Ele utiliza coisas inusitadas para a percussão como baldes de plástico, extintores de incêndio entre outras coisas com variados sons e timbres.

| Dia 27/10, 17h

| Dia 31/10, 17h

Christian Joseph MJ

Christian Joseph, mais conhecido como CJJ, há quase 8 anos vive da dança, mais especificamente, como cover de Michael Jackson. Começou dançando com uma caixinha de som emprestada, na rua 25 de Março. Chamou a atenção pela semelhança com Michael Jackson, que vai além do físico, pois possui uma energia cativante. Com o dinheiro que ganhava na rua, conseguiu comprar uma caixa melhor e aprimorou suas apresentações.

| Dia 27/10, 12h

Elvis da Paulista - Márcio Aguiar

Márcio Henrique Aguiar ou "Elvis Presley" da Paulista, manda beijinho, dá autógrafos, posa para fotos com o público e canta como se tivesse Presley no gogó. É o resultado de horas a fio de estudo, ouvindo gravações antigas e conferindo vídeos do ídolo.

| Dia 30/10, 18h

Emerson Pinzindin

O saxofonista e flautista Emerson Pinto, o Pinzindin, é um ícone na arte de rua na Av. Paulista. Há quase 25 anos toca todos os dias em frente ao Conjunto Nacional. Executa com muita habilidade clássicos nacionais e internacionais e também composições de sua autoria.

| Dia 20/10, 17h

| Dia 29/10, 13h

Fernando Loko

Fernando Loko e seu trio de rock'n'roll já são atração no cotidiano conturbado da Av. Paulista. Tocando desde clássicos até músicas autorais, sua técnica apurada cativa o público, que faz questão de parar para balançar o esqueleto e se transportar para o universo do rock.

| Dia 29/10, 17h

Gutto Thomaz

O jovem Gutto é um dos mais promissores mágicos de São Paulo e pratica o ilusionismo desde criança. Nas ruas, apresenta um espetáculo de mágicas visuais e técnicas do ilusionismo, mescladas a teatro, mímica, clown e muito improviso.

| Dia 22/10, 13h

Irmãos Jackson

Vestidos com luvas, roupas e chapéus característicos do rei do pop, os irmãos Matheus, de 17 anos, Felipe, 16, e Davi Gomes de Luca, 9, reproduzem fielmente trejeitos e coreografias que aprenderam assistindo a shows em DVD. Nos fins de semana, eles ocupam parte da esquina da Rua Augusta com a Avenida Paulista. Os jovens têm, inclusive, seus próprios fãs que os acompanham.

| Dia 29/10, 18h

Leandro Street Blues

Leandro Oliveira começou como baterista e, nos anos 1990, apaixonou-se pelo blues ao ouvir o som da gaita e nunca mais largou o estilo. Atualmente, participa de diversas bandas tocando gaita, bateria e cantando. O apelido “Leandro Street Blues” já anuncia: lugar de blues é na rua, onde Leandro toca sozinho como “one man band” ou acompanhado do guitarrista Daniel Marques.

| Dia 25/10, 16h

| Dia 28/10, 13h

Ó do Forró

A banda Ó do Forró nasceu no Capão Redondo há sete anos. Após consolidar-se no cenário do forró paulistano, o grupo descobriu os encantos da rua em 2012, ao promover shows diários na Avenida Paulista, no mês do centenário de Luiz Gonzaga. Desde então, mantêm o hábito de levar sua música para fora dos palcos, promovendo verdadeiros bailes a céu aberto.

| Dia 31/10, 18h

Mustache e Os Apaches

A banda Mustache & Os Apaches nasceu da simbiose criativa de cinco excêntricos músicos que também atuam em vários campos da arte como o circo, artes plásticas, cinema e literatura. Inspirados inicialmente pelas Jug Bands norte americanas e pelos espetáculos do Circo Vaudeville, iniciaram seu projeto apresentando-se nas ruas de São Paulo e logo destacaram-se por serem capazes de transformar qualquer lugar da cidade em um espaço para shows.

| Dia 25/10, 18h

Ôncalo

Banda de jovens músicos que difunde o conceito de street band. Com repertório que homenageia Tim Maia, traz de forma irreverente a música instrumental com o projeto Tim Maia 70, relembrando sucessos do artista. Rompendo barreiras, o grupo acaba de retornar da Rússia, onde participou do projeto A Arte Brasileira Invade Moscou.

| Dia 24/10, 18h

Peneira e Sonhador

A dupla de embolada Peneira e Sonhador se apresenta diariamente na esquina das Ruas Direita e Quinze de Novembro, há mais de 20 anos. Por esta razão, são chamados com frequência para eventos de cultura popular brasileira. Mesmo com tanta fama, não trocam a rua por nada e seguem levando cultura, música e humor para o espaço público da cidade de São Paulo.

| Dia 21/10, 17h

| Dia 24/10, 13h

Rafael Pio

Em 1995, começou a tocar guitarra nas ruas do centro de São Paulo e na Av. Paulista com um miniamplificador portátil, atividade que faz até hoje. Também trabalhou em circo como acrobata e músico de 1998 a 2009 (em circos como Circo Garcia, Circo Espacial e Circo Stankowich) com quem teve a oportunidade de viajar para o Oriente Médio e Europa. No circo, assistindo aos números de palhaço, teve a ideia de misturar o que já fazia nas ruas com a guitarra com a comicidade dos palhaços e criou o personagem, “Palhaço Guitarrista”, com que se apresenta nas ruas de São Paulo e Rio de Janeiro.

| Dia 22/10, 18h

| Dia 01/11, 15h

Rodolfo Ceregatti

Rodolfo Ceregatti é multi-instrumentista, largou emprego e faculdade e, sentado em cima de um papelão e de pernas cruzadas, hoje se apresenta nas ruas do mundo todo, fazendo o que mais ama em sua vida: ser músico.

| Dia 21/10, 13h

Rodolfo Valentino

Quem anda muito pelas ruas do Centro certamente já parou para dar risadas com o Jack Sparrow. Rodolfo encarna o louco capitão dos Piratas do Caribe e usa sua dança e humor para entreter quem passa por ele.

| Dia 22/10, 12h

| Dia 24/10, 12h

Sax in the Beats

Sax in the Beast é formado pelo publicitário John Paiva e o músico Nilton Cezar. Eles usam o tempo livre para fazer apresentações divertidas em São Paulo, chamando a atenção não só pela maioria das músicas que estão na ponta da língua do público, mas também pela irreverência do figurino – Jonatas com cabeça de cavalo e o Nilton com cabeça de Panda.

| Dia 25/10, 17h

| Dia 28/10, 18h

Tania Mujica

A peruana Tania é artista plástica e performer, mas conhecida nas ruas do Centro pela sua performance "Anjo Barroco", em que fica imóvel por horas, levitando no ar como mágica. Adepta da meditação, usa suas horas como estátua viva para refletir sobre a vida e seus pensamentos são, em seguida, colocados em palavras e compartilhados em sua página na internet e nas mensagens que entrega ao público durante suas apresentações.

| Dia 31/10, 13h

Tim Max

Tim Max é agente de viagem, fala várias línguas e após mais um dia normal de trabalho, no Brasil ou no exterior, pega seu violão e se transforma em músico de rua. É compositor de samba rock, mas toca grandes sucessos da MPB.

| Dia 23/10, 18h

| Dia 27/10, 18h

Verde Lins e Pena Branca

Por uma dessas grandes ironias do destino, Verde Lins e Pena Branca, apesar de serem da mesma cidade, conheceram-se em São Paulo. De lá pra cá colecionam sucessos e muita história pra contar. Em seu repertório, além das emboladas criadas de improviso, cantam músicas de seus discos, músicas populares e do folclore nordestino. Foi a primeira dupla de embolada a gravar um disco deste estilo em São Paulo, em 1994.

| Dia 23/10, 12h

| Dia 31/10, 18h

Vinícius Chagas e Thiago Talamonte

O saxofonista Vinícius Chagas faz a trilha sonora do happy hour da região da Paulista há cerca de 11 meses, tocando soul, jazz e funk. Acompanhado do baterista Thiago Talamonte (também conhecido como Mister Lúdico), a dupla promete levar free jazz e hard bop de altíssima qualidade para a Ladeira da Memória.

| Dia 20/10, 18h

Banda Xupisco

Quem não é mais tão jovem certamente tem lembranças de ter visto ao menos uma vez uma charanga, seja tocando em um circo ou até mesmo anunciando promoção no açougue do bairro. A Banda Xupisco mantém viva a tradição das charangas, levando seus instrumentos de sopro diariamente para a Avenida Paulista.

| Dia 22/10, 17h

Tem Ar Dentro

O projeto de intervenção em espaços públicos "Tem AR Dentro", concebido e interpretado por Karina Ka e Tatiana Melitello, utiliza a improvisação em dança contemporânea e técnica de respiração para tratar das modificações corporais e das transformações espaciais experimentadas pelo corpo em movimento.

| Dia 21/10, 12h

| Dia 24/10, 17h

| Dia 28/10, 12h

| Dia 30/10, 12h

Membranas Ocupa o Largo

“Membranas Ocupa o Largo” é uma performance de dança do Coletivo Elástica que investiga as interações entre corpo, artes visuais, arquitetura e cidade, partindo das relações que estabelece com o Largo da Memória. A performance dá continuidade à pesquisa do Coletivo sobre as fronteiras do corpo, as diferentes noções de interior e exterior, a partir da exploração do adesivo vinil, material que lembra as características da pele e que permite uma camuflagem na arquitetura do local.

| Dia 23/10, 17h

| Dia 25/10, 12h

| Dia 28/10, 17h

| Dia 30/10, 17h

Dançando na Cidade

Concebido para ser apresentado em espaços públicos e criado na mesma época que “Improvisos”, “Dançando na Cidade” conta apenas com os bailarinos do Coletivo Silenciosas + GT’aime no elenco, que adentram a área escolhida sem chamar a atenção, e começam seu trabalho gradativamente, até que fique clara a intervenção. Neste jogo, os temas surgem naturalmente nas ações dos transeuntes na arquitetura do ambiente escolhido para a apresentação, nos acasos naturais que acontecem em um ambiente sem o controle de um teatro.

| Dia 18/10, 16h

Relampião

O Espetáculo de Rua "Relampião" tem como foco ocupar o espaço público artisticamente, ressignificando seus espaços de fluxo cotidiano e colocando o cidadão em relação ativa com a obra teatral. A peça parte do mito de Lampião para revelar os múltiplos Lampiões que cruzamos diariamente em nossas cidades, gente comum que luta para sobreviver em meio a tantas desigualdades.

| Dia 25/10, 15h

Ciranda da Memória

O Grupo Redimunho de Investigação Teatral tem sua sede a um quarteirão da Ladeira da Memória. Por essa razão, o monumento é usado há anos em suas pesquisas e apresentações teatrais. Para o Bicentenário, o grupo propõe uma intervenção lúdica que começa com um singelo baile e finaliza com uma grande ciranda envolvendo todo o público.

| Dia 18/10, 18h

E Tome Palhaço!

O espetáculo mostra a visão idealista de mundo de dois palhaços, atuando em cena como verdadeiros astros, com números de música, mágica, dança e malabares. Entre múltiplas apresentações eles percorrem diversas linguagens, propondo um resgate ao riso, a alegria e espontaneidade sem receio ou medo do ridículo. Enfim, uma viagem ao mundo etéreo das crianças que existe em cada um de nós e do qual vamos nos distanciando com o passar dos anos.

| Dia 20/10, 13h

| Dia 23/10, 13h

| Dia 27/10, 13h

| Dia 31/10, 12h

Caravana de Bandas de Rua

Cabaré 3 Vinténs

O grupo resgata as tradições dos cabarés de variedades que proliferaram pelo mundo a partir da década de 1930, trazendo à tona uma inesperada fusão entre swing jazz, música brasileira e elementos da cultura circense. O repertório é formado por clássicos do jazz, Noel Rosa e composições próprias. A opção por se apresentar nas ruas da cidade é uma característica do grupo, que realiza intervenções acústicas para públicos de até 200 pessoas. Convidado especial: Trupe Baião de Dois.

| Dia 01/11, 18h

Chaiss na Mala

O Chaiss na Mala é um projeto de improvisação na linguagem do jazz que vai do bebop ao free jazz formado por três sopros, baixo acústico e uma bateria que utiliza uma mala como bumbo, permitindo a mobilidade da banda pelas ruas da cidade. Convidado especial: Micheal Jackson Cover

| Dia 19/10, 18h

O Bardo e o Banjo

O Bardo e o Banjo é o alter ego de Wagner Creoruska Junior, músico de 28 anos que desplugou cabos e microfones e levou sua arte às esquinas mais movimentadas de São Paulo. Relacionar-se com o público e fazer música ao vivo é o grande trunfo de Wagner, que escolheu o folk por suas raízes musicais e a vontade de viver na estrada. Sua sonoridade é rústica, espontânea e cativante. Tocando muitas vezes acompanhado pelo fiddleman Antonio de Souza e o violonista e cantor Marcus Zambello, o som do Bardo e o Banjo tem se espalhado por diversas cidades do Brasil, desde o extremo sul, de cidade como Porto Alegre e Gramado até Minas Gerais e Rio de Janeiro. Convidada especial: Sara Peper

| Dia 19/10, 17h

Emblues Beer Band

O Emblues Beer Band mescla influências do folk e do jazz das bandas New Orleans às culturas caipira e regional. Criado no Embu das Artes, a partir de integrantes de um bloco carnavalesco da cidade, o grupo leva a música e alegria para a rua como uma banda itinerante de ritmos variados. O repertório do conjunto traz desde o tema do filme “Pulp Fiction”, até canções de Almir Sater, Bob Dylan ou Ray Charles. Convidada especial: Daniele Siqueira.

| Dia 01/11, 17h

Teko Porã

A banda Teko Porã surgiu do encontro entre músicos de rua da cidade de São Paulo. Seus integrantes, com influências diversas como a canção brasileira, a música folk e a música erudita, desenvolvem um trabalho autoral focado na criação coletiva e na apresentação em espaços públicos. A inspiração do nome veio do termo guarani "Tekó Porã", que diz respeito a uma "experiência de vida compartilhada". Convidado especial: Rodolfo Valentino.

| Dia 19/10, 16h

The Lonesome Duo

Rennan Martens e Luiz Masi se juntaram em 2009 para escrever canções despretensiosamente. Influenciados pela cena blues norte-americana e por performances de rua, a dupla solitária bebe de fontes tradicionais do folk, música cigana, gospel, voodoo e todo o imaginário do submundo boêmio. Mergulham no universo dos contadores de história, viajantes nômades, médiuns e charlatões, criando ambientações dignas desse fantástico panorama. Acompanhados pelos Lonesome Balladeers, apresentam-se também em formatos compactos e acústicos. Seu repertório é composto por canções autorais, clássicos do blues e pérolas do cancioneiro popular norte-americano. Convidado especial: Circo do Asfalto.

| Dia 01/11, 16h

Caminhada Noturna

Tradicional programa de passeio pelo Centro Histórico de São Paulo promove atividade especial em comemoração ao Bicentenário do Obelisco da Ladeira da Memória.

| Dia 16/10, 20h

Quadradão

Instalação temporária na fonte seca do Largo da Memória, com impressoras matriciais. Utilizando a metáfora da água, como fonte renovadora. Como o mesmo homem não se banha duas vezes no mesmo rio, a instalação aposta no fluxo contínuo das memórias, que em algum momento estiveram no presente e que podem irrigar perspectivas de futuros. Assim, a instalação pretende evocar a memória como o passado vivo, informação apropriável pelo usuário, que não contempla o passado como tempo distante e/ou saudoso, mas sim como meio relevante para suas atividades. A instalação consiste em impressoras postadas na saída de água original da fonte, que podem imprimir fotos, textos, imagens, dados históricos e uma infinidade de dados relacionados ao restauro da fonte do Largo da Memória. O movimento da impressão das folhas, assim como o acúmulo delas no tanque da fonte, faz menção ao movimento das águas.

| A partir do dia 16/10.

Intervenção

Intervenção artística no fechamento de proteção do andaime instalado no Largo da Memória para restauro do Obelisco. Juntamente com a programação da Caminhada Noturna, essa proposta pretende, em tempos de seca, apresentar o Obelisco envolvido em móbiles reflexivos, remetendo à presença original das águas no Largo da Memória.

| De 13 a 17/10. Dia 16, 20h, juntamente com a Caminhada Noturna

Tudo o que sabemos sobre:
obeliscolargo da memória

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.