Capítulo 17

Andar todos os dias até uma padaria em São Paulo

Padarias são parte da memória afetiva dos paulistanos; e aposto que todo mundo tem uma boa história para contar

Daniel Fernandes, São Paulo

08 de maio de 2019 | 18h12

É uma das minhas lindas lembranças da vida. Seria a de todos nós paulistanos de nascença ou de adoção? Lembro do meu avô me dando a mão para caminharmos, fosse qual fosse a tarde, coisa de 100 metros até a padaria da Lapa. Para mim, naquela idade, perto dos cinco anos, só existia uma. Essa! A gente caminhava devagar como a vida exige dos mais velhos e dos mais novos. A gente caminhava como todos deveriam caminhar hoje.

Quando a gente chegava, o pedido era o de sempre: três pãezinhos, um maço de Continental e um ‘chocolate pro garoto’. A relação de todos nós com as padarias é mais ou menos essa: não é o lugar onde você compra pão, leite e todas essas coisas modernas que hoje identifica uma padaria. Não! Padaria é o lugar onde você busca aconchego, com aroma de sentimento de pertencimento.

Duvida? Antes de irmos nessa para explorar boas padarias em São Paulo, desafio o leitor a escrever nos comentários qual é na sua opinião a melhor padaria de São Paulo. E, claro, os motivos para a escolha.

Padaria na Vila Clementino

Começo nosso roteiro de padarias sugerindo a você, caro leitor, uma visita à Sliced. Ela reforça, como sugere o Paladar, a onda de micropadarias na cidade. Em tempo: padaria pequena não significa ausência de qualidade. E por falar em tendência, é uma padaria a nova empreitada dos Rueda no centro. Tão poucos fizeram e fazem tanto pelo centro deteriorado de São Paulo. Por isso, fica a dica, aproveite a curiosidade para conhecer qualquer casa dos Rueda e visite a região.

Padaria no Itaim Bibi

Outra dica, também do Paladar, é a Zan Pan, que faz pão com fermentação natural no Itaim. A padeira, Gabriella Zanforlin, estudou panificação na Califórnia e prepara baguetes, pães multigrãos e fornadas especiais. E por falar na onda de pães artesanais que parece marcar presença na cidade, é legal você reservar uns minutinhos para conhecer profissionais que fazem do pão, com perdão do clichê, uma arte.

Padarias que funcionam 24 horas por dia

É claro que você está esperando por dicas de padarias 24 horas, afinal, na cidade que não descansa nunca, é natural, obrigatório até, que as panificadoras funcionem o tempo inteiro. Mas se eu fosse você, em vez das 24 horas, reservaria um tempo para conhecer uma padaria coreana que dá sabor ao Bom Retiro. Quer algo mais paulistano do que isso?

Croissant

Não é o foco dessa coluna, mas por que não aproveitar que estamos falando de padaria para falar de croissant – O ‘Paladar’, ainda no ano passado, passou uma tarde ao lado dos padeiros da Fabrique, padaria em Higienópolis, para mostrar como ele é feito. A propósito do tema fizemos também uma votação para escolher o melhor croissant de São Paulo.

Aproveite a coluna, se inspire e nos conte qual é a sua padaria preferida e qual lembrança você tem dela. Em tempo: a padaria que meu avô me levava fechou, virou um monte de coisas diferentes, depois virou de novo padaria, depois fechou de novo. Não importa. Toda vez que eu passo por ela de bicicleta – e eu sempre desvio o caminho para passar por lá – lembro do vô Acacio andando, andando. Ele adorava andar pela cidade. Mas essa é outra história.

Beijo Vô!

Leia mais na Supercoluna "Viagem a São Paulo":

Daniel Fernandes

Daniel Fernandes

Editor de Suplementos

Formado em jornalismo em 1998, trabalha no Estadão desde 2004. Adora descobrir coisas novas na cidade de São Paulo, mesmo que falte tempo para conhecer tudo ao mesmo tempo agora.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.