Anchieta rompeu muralha da Serra do Mar

A inauguração do primeiro trecho da Via Anchieta, em 1947, começou a romper o bloqueio natural que a muralha da Serra do Mar impunha entre paulistas do alto da serra e da Baixada Santista. Com a estrada, o turismo começou a ser opção para mais gente. Mas fez surgir outra muralha: a de prédios próximos à orla.

CARLOS EDUARDO ENTINI , O Estado de S.Paulo

13 Janeiro 2013 | 02h00

A muralha foi erguida ao redor dos canais, "obedecendo a uma concepção de cidade que cresceu ao redor deles", esclarece a socióloga Sonia Nahas de Carvalho, autora da tese Planejamento Urbano e Democracia: A Experiência de Santos, de 1999.

Como a viagem ficou mais fácil, abriu-se a possibilidade de passar mais tempo no litoral. O uso da praia deixou de ser terapêutico e limitado pelas temporadas e férias para se tornar uma opção mais curta para fins de semana e feriados.

No Estadão Acervo, é possível acompanhar a mudança de uso e destino da orla da Baixada com os anúncios de imóveis em Santos. Do começo do século 20 até o surgimento das novas vias de acesso ao litoral, Santos oferecia pensões para os turistas que iam tomar um "banho de mar". Em 1948, logo depois do surgimento da Via Anchieta, o banhista de ocasião dá lugar à figura do proprietário de apartamento para "fim de semana e renda". É o que oferecia o anúncio do Edifício Pery publicado em 29 de abril daquele ano.

A ocupação da cidade pelo turismo foi o principal incentivo do setor imobiliário até o fim da década de 1950, quando então surgiu outro: a criação do polo petroquímico na cidade vizinha de Cubatão, com inauguração das refinarias da Petrobrás (1955) e da Cosipa (1959).

Crescimento. Foi nessa época que a verticalização se acelerou. Os anúncios de prédios pipocaram nas edições do Estado. Os da Ocian - Organização Construtora e Incorporadora Andraus - dão ideia do ritmo. Em 1957, a empresa anunciava a entrega de seu 44.º prédio, em um total de 3.808 apartamentos, a maioria na Baixada. Em 1961, era a vez da entrega do Edifício São Domingos, com 140 metros de frente e "a maior massa de concreto do litoral", exclamava o anúncio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.