Anchieta é liberada 13 horas após acidente com carretas

Um dos motoristas morreu; tráfego ficou lento durante todo o dia

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

01 Abril 2015 | 18h34

Atualizada às 21h09

SOROCABA - Um acidente envolvendo quatro carretas deixou um morto e interditou por 13 horas a pista sul da Via Anchieta nesta quarta-feira, 1º. Só não houve transtornos maiores ao trânsito porque, uma hora depois do acidente, a concessionária inverteu o sentido da pista norte da Anchieta para dar vazão ao tráfego de caminhões. Além disso, foi adotada a Operação Descida para a Páscoa, com sete pistas rumo ao litoral. Pelo menos 4 milhões de veículos devem circular pelas estradas paulistas durante o feriado. 

Três veículos envolvidos no acidente estavam carregados com soja e a carga de um deles se espalhou pela pista. O quarto, uma carreta-tanque, tombou com produto inflamável e as pistas foram interditadas por risco de explosão. As equipes de socorro usaram serragem para absorver o líquido derramado.

As colisões aconteceram às 5 horas, no km 53, no fim do trecho de serra, próximo de Cubatão, mas o tráfego só foi liberado às 18h12. A subida na direção da capital era feita somente pela pista norte da Imigrantes. Um dos motoristas morreu. No local do acidente, a Polícia Rodoviária Estadual abriu uma faixa apenas para liberar os veículos que tinham ficado retidos.

Três horas após o acidente, a fila de veículos era de dez quilômetros. O tráfego ficou lento na Anchieta durante todo o dia. Motoristas que ficaram retidos no bloqueio usaram as redes sociais para reclamar. “Cadê o trem? Rodovias dominadas pelos caminhões”, postou Eduardo Corte. 

Outros pediam a liberação da Rodovia dos Imigrantes para ônibus e caminhões. Procurada, a concessionária destacou que o tráfego de veículos pesados na Imigrantes é proibido por lei. Quanto à demora na liberação da estrada, houve necessidade de fazer o transbordo das cargas, incluindo o material inflamável, e a remoção dos veículos, de acordo com a concessionária. 

Saída. Nesta quarta, o fluxo de saída da capital para o feriado prolongado ainda era pequeno. A cidade registrava, às 19 horas, 116 quilômetros, na média para o horário - que é de 110 a 166 quilômetros. O maior movimento deve ser hoje, a partir de meio-dia, quando dois milhões de carros deixarão a capital na direção do litoral e do interior de São Paulo. As estradas devem permanecer lotadas até o fim da noite. Nesta sexta, o movimento será intenso das 6 às 13 horas.

Cerca de 800 mil veículos devem seguir para as praias pelo Sistema Anchieta-Imigrantes, principal acesso à Baixada Santista, ou pela Rodovia dos Tamoios, na direção do litoral norte. Na Tamoios, haverá uma pista suplementar no trecho da Serra do Mar nesta quinta. 

Na Rio-Santos, entre Bertioga e São Sebastião, um afunilamento existente no km 215 pode obrigar a um desvio do trânsito pelo acesso da Praia do Indaiá, caso haja excesso de veículos. O objetivo é reduzir o congestionamento.

Como aumenta a procura pela região serrana, principalmente para a cidade de Campos do Jordão, também serão instaladas faixas exclusivas de acesso à Rodovia Floriano Rodrigues Pinheiro, no km 118 da Dutra e no km 128 da Carvalho Pinto. 

A Polícia Rodoviária avisa que terá 1,3 mil homens nas estradas com radares móveis e bafômetros disponíveis. As obras nas rodovias foram suspensas, mas um trecho da Castelo Branco, entre o km 118 e o km 128, teve supressão de acostamento em razão da construção da terceira pista.

Na Régis Bittencourt, que liga São Paulo a Curitiba, uma ponte em obras interdita uma das pistas e o tráfego é desviado para a outra, que tem um trecho em mão dupla, no km 41,8, em Campina Grande do Sul (PR). No trecho paulista, a rodovia terá faixas reversíveis na Serra do Cafezal, entre Juquitiba e Miracatu. Na Raposo Tavares, o acesso de Itapetininga, no km 162, está interditado por causa da queda de um aterro.

Durante o feriado prolongado, motoristas que usarem a Castelo Branco podem simular o impacto de uma batida com o carro a 5 km/h. O simulador estará em postos de serviço no km 30, amanhã; no km 47, sábado, no sentido interior; e, domingo, no km 57, sentido capital. A ação faz parte de campanha educativa da concessionária Viaoeste e da Agência de Transporte do Estado (Artesp) para o uso do cinto de segurança. / COLABOROU MÔNICA REOLOM

Mais conteúdo sobre:
Acidente Anchieta

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.