Anatel investiga interrupções em redes de telefonia em SP e MG

Linhas telefônicas da Oi, em Belo Horizonte, e da Telefonica, em São Paulo, não funcionaram pela manhã de 3ª

Fabiana Marchezi, Central de Notícias

09 de setembro de 2009 | 13h21

A fiscalização da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) informou na manhã desta quarta-feira, 9, que analisa as causas e as consequências dos incidentes ocorridos na terça-feira em redes de telefonia fixa em São Paulo e Minas Gerais. Na capital paulista, as interrupções nas linhas da Telefônica ocorreram entre 10h30 e 14 horas; e em Belo Horizonte, a telefonia da Oi tiveram problemas entre 10h10 e 12h50.

 

Veja também:

mais imagens GALERIA: Imagens da chuva e do caos em SP na terça

blog BLOG: Acompanhe a situação do trânsito na cidade

lista COMENTE: Twitter do estadao.com.br

mais imagens PARTICIPE: Sofreu com a chuva? Mande sua foto

especial ESPECIAL: Temporal fora de época para São Paulo

video VÍDEO: Trânsito parado e alagamentos em SP

 

Em nota, a Anatel informou que investiga não só a qualidade dos serviços prestados, mas também a confiabilidade das redes de telecomunicações - especialmente para que não haja descontinuidade dos serviços em situações críticas. Após a análise das ocorrências, a Anatel procederá às devidas autuações e, se for o caso, à aplicação de sanções estabelecidas em seus regulamentos.

 

Segundo a Anatel, o Regulamento do Serviço Telefônico Fixo Comutado (STFC) prevê que "na ocorrência da interrupção do serviço, por qualquer razão, a prestadora deve notificar os usuários da localidade afetada mediante aviso público, comunicando os motivos, as providências adotadas para o restabelecimento dos serviços e a existência de meios alternativos para minimizar as consequências advindas da interrupção".

 

Havendo interrupção do acesso ao STFC na modalidade local, a prestadora deve conceder crédito ao assinante prejudicado. O crédito deve ser proporcional ao valor da tarifa ou preço da assinatura, considerado todo o período da interrupção.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.