Análise: Reajuste deve levar mais passageiros para os ônibus

Os reajustes na tarifa integrada e nos bilhetes temporais são uma solução para reduzir os subsídios gastos principalmente com os ônibus e cumprir a promessa de congelar o valor básico das passagens em R$ 3,80. Mas cerca de metade dos usuários da rede faz integração e, na prática, essas pessoas terão reajuste, sim. 

Horácio Augusto Figueira, O Estado de S.Paulo

31 Dezembro 2016 | 03h00

Isso pode levar a pequenas mudanças de hábitos dos usuários que querem economizar algum dinheiro e estimular uma migração de passageiros do metrô para os ônibus, provocando queda na demanda por transporte sobre trilhos. Muitas pessoas que pegam ônibus para sair do bairro poderão preferir tomar uma segunda condução no meio do caminho para chegar ao seu destino a descer em uma estação e ir de metrô. Pelo que me lembro, essa é a primeira vez que sobem só a integração. 

O reajuste nos bilhetes temporais faz certo sentido, pois isso não acontecia havia três anos, mas deve desestimular o seu uso, que é pequeno. Essas mudanças não cobrem o custo do sistema. A preocupação é: quem paga essa conta? Para ter subsídio, o dinheiro sai de outro lugar, como da Saúde e da Educação. Ainda é preciso discutir o financiamento do sistema com transparência.

* Horárcio Augusto Figueira é mestre em Engenharia de Transporte e consultor de mobilidade urbana. 

Mais conteúdo sobre:
Saúde Educação

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.