Análise: Não é simplesmente dar uma mensagem, mas se envolver

O discurso proferido ontem pelo papa Francisco foi simplesmente fantástico. Isso ficou claro pela quantidade de vezes em que o povo o aplaudiu. Seu pronunciamento é impactante porque, quando todos esperavam um discurso político, justificado pelo atual momento por que passa o País, ele revelou sua sabedoria enaltecendo o coração do homem. Isso ficou claro: diante do poder, sua preocupação é tocar o coração das pessoas, deixando de lado o prestígio político.

Francisco Borba Ribeiro Neto

23 de julho de 2013 | 02h00

Papa Francisco é mais do que uma coisa totalmente nova. Ele é a corporificação da tradição mais pura da Igreja, dos seus grandes fundamentos. E já deu sinais mais do que claros do que vai ser seu pontificado. Não é simplesmente dar uma mensagem, mas sim se envolver no processo político.

* FRANCISCO BORBA RIBEIRO NETO É COORDENADOR DO NÚCLEO FÉ E CULTURA DA PUC-SP

Mais conteúdo sobre:
papa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.