Análise: Multa para quem aumentar consumo de água tem aspectos educativo e econômico

Há, em especial, dois aspectos que devem ser levados em conta para analisar a eficiência da multa para quem consumir mais água: o econômico e o educativo. Sobre o primeiro, é difícil prever quais serão seus resultados na prática, porque também vai depender de questões sociológicas, como as especificidades de cada consumidor. De forma geral, o consumo de água é muito barato e, por isso, a aplicação de multas tende a ter impacto menor. Em São Paulo, a parcela que ainda não está economizando água é pequena, o que, por um lado, demonstra bons resultados do programa de bônus. Esse grupo remanescente tende a ser menos sensível à variação do preço, o que interfere menos no consumo.

Rubem La Laina Porto, É PROFESSOR DE HIDROLOGIA DA ESCOLA POLITÉCNICA DA USP

19 Dezembro 2014 | 03h00

A multa, no entanto, pode despertar um aspecto moral em pessoas que não desejam ser multadas, independente do valor. A medida mostra para a população que a água vale dinheiro, é difícil de ser captada, tratada e distribuída. Esse é o sinal que está sendo dado - talvez o mais interessante. E educação tem efeito constante. Se as pessoas entenderem a importância desse valor, se economizará cada vez mais a cada geração.

Mais conteúdo sobre:
Crise da água

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.