Análise: Impunidade e subnotificação favorecem crescimento histórico de roubos

Para o consultor em segurança Diógenes Luca, boletim de ocorrência virtual permitiu que mais casos fossem registrados; medidas punitivas não estão sendo suficientes, diz ele

O Estado de S. Paulo

24 de janeiro de 2015 | 03h00

São Paulo tem feito um trabalho interessante com relação ao número de homicídios, abaixo da média brasileira e dentro do patamar considerado satisfatório pela Organização das Nações Unidas (ONU). Isso é reflexo de medidas que vem sendo adotadas nos últimos anos, como a fiscalização dos bares e o controle de armas, principalmente nas periferias, onde acontece a maior parte dos crimes por motivos fúteis. Já quanto ao crime de roubo, há dois fenômenos que favorecem o crescimento histórico. Um é o agravamento da sensação de impunidade, que faz com que os criminosos, incluindo os menores de idade, pensem que cometer crime é um bom negócio. As medidas punitivas do Código Penal e do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) não estão sendo suficientes. 

Outro fenômeno é o boletim de ocorrência virtual, uma nova possibilidade de as pessoas registrarem as ocorrências. Nós temos um problema chamado subnotificação, que é quando as pessoas não registram na delegacia os crimes que acontecem. As pessoas vítimas de roubos de pequeno porte, como celular, carteiras, tablets, acabavam tendo perda material e não registravam isso, pois tinham de perder horas na delegacia para serem atendidas. 

Se não era o caso do roubo de um veículo, em que o dono precisava do boletim para receber o seguro, a vítima normalmente não fazia o registro. O que acontecia era um mascaramento da quantidade de roubos. Essa situação acabou tratada de outra maneira, que é fazer boletim de ocorrência pela internet. Muitas pessoas começaram a registrar essa ação e isso trouxe à tona o alto número de casos. Ainda vamos ter aumentos sequenciais até que essa questão da subnotificação tenha sua quantidade diminuída.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.