Anac quer que empresas compartilhem balcões de check-in

Ideia é aproveitar balcões ociosos para diminuir filas de companhias aéreas que tenham mais voos em um determinado horário

Nataly Costa, de O Estado de S.Paulo

05 de agosto de 2011 | 20h08

A Agência Nacional de Aviação Civil quer que as companhias aéreas compartilhem os balcões de check-in nos aeroportos. O objetivo é aproveitar balcões ociosos de uma companhia para diminuir as filas de outras que eventualmente tenham mais voos em um determinado horário. A medida foi posta em audiência pública nesta sexta-feira, 5, e a resolução definitiva deve sair nos próximos meses.

 

Hoje, cada aeroporto concede às companhias aéreas um número pré-determinado de balcões de check-in, que depende de quantos voos são operados - em Congonhas, na zona sul de São Paulo, por exemplo, Tam e Gol têm a maioria dos balcões porque operam mais de 90% dos voos daquele aeródromo. Cada empresa opera sozinha seus balcões, que ficam fechados quando não há voos. Com a resolução da Anac, uma empresa poderá usar a estrutura da outra quando necessário. Isso também vai demandar que as empresas tenham mais gente trabalhando no check-in para atender a demanda dos horários de pico.

 

O compartilhamento também inclui os totens de autoatendimento, que poderão ter um sistema único que faz o check-in do passageiro de qualquer empresa. É o que já acontece na maioria dos aeroportos do mundo para agilizar check-in de voos domésticos e principalmente de passageiros sem bagagem.

Tudo o que sabemos sobre:
Anaccheck inbalcões

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.