Anac abre processo para investigar irregularidades

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou ontem que abriu processo administrativo para apurar possíveis irregularidades relacionadas ao acidente com o helicóptero.

Tiago Décimo, O Estado de S.Paulo

21 de junho de 2011 | 00h00

O foco das investigações é a situação supostamente irregular do piloto, o empresário Marcelo Mattoso de Almeida, de 48 anos. Ele estaria com a habilitação vencida, não teria licença para pilotar helicóptero e a autorização médica teria vencido em agosto de 2006. Pilotos de mais de 40 anos precisam renová-la anualmente.

Almeida também não teria habilitação para pilotar por instrumentos, o que seria fundamental para a operação da aeronave quando houve o acidente, à noite e sob chuva.

Para conseguir liberação para a decolagem do Aeroporto Internacional de Porto Seguro, Almeida usou, segundo a Anac, dados de outro piloto, Felipe Calvino Gomes, de 29 anos. Entrevistado pela Rede Globo, Gomes disse que pilotou o mesmo helicóptero na semana passada, mas negou ter autorizado o empresário a usar seus dados na Anac.

O Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa) também investiga as circunstâncias do acidente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.