Amorim nega ter sido sondado por Lula para assumir Defesa

Ministro deixa claro que pretende continuar no comando das Relações Exteriores

Denise Chrispim Marin, do Estadão,

24 de julho de 2007 | 17h32

O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, afirmou nesta terça-feira, 24, que prefere continuar no cargo a ser transferido para o comando do Ministério da Defesa, no lugar do ministro Waldir Pires, que estaria na iminência de ser substituído.   Veja também:   Governo vai usar Conac para aumentar intervenção na Anac Para evitar vaias, Lula cancela agenda na região Sul Lula pode trocar Pires e presidente da Infraero nesta semana   O chanceler negou que tenha sido sondado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre a possibilidade de assumir a Defesa. A uma pergunta sobre a possibilidade de dar uma contribuição ao governo na área militar, Amorim deixou claro que pretende continuar nas Relações Exteriores: "Espero que o presidente ache que eu possa contribuir com a política externa."   Questionado pela imprensa se já se considera um "ex-futuro ministro da Defesa", o chanceler disse: "Estou contente com o 'ex'". Desde a última sexta-feira, circulam rumores de que Amorim poderia ser transferido para a chefia da área militar. Desde então, em pelo menos duas ocasiões, ele negou ter sido convidado e enfatizou seu desinteresse nessa mudança ao responder a assessores próximos.

Mais conteúdo sobre:
vôo 3054Celso Amorim

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.